Thomson Airways

13 06 2017

Enviar informes a estações aéreas no momento é minha maior fonte de confirmações e o índice de retorno de empresas europeias segue alto.





El Salvador em ondas curtas

11 06 2017

Adrian M. Peterson

Um radioamador não identificado de San Salvador, a capital da pequena nação centro americana de El Salvador, foi o primeiro a fazer experiências com rádio em ondas curtas. Ele enviou um informe de suas primeiras atividades à revista radioamadorística QST, que publicou nota na edição de Dezembro de 1922. Nela, dizia ter feito recentemente alguns testes em ondas curtas com transmissor próprio e que planejava fazer outros testes em breve.

Em 1922, a ênfase do rádio estava no uso de alta potência em ondas longas ao invés de baixa potências em ondas curtas, e na época a experimentação em tal faixa era rara. O experimentador de San Salvador identificava a si mesmo como “Sparks”, parecendo indicar que era um operador não licenciado, algo bastante comum em vários países na época.

Muitos ouvintes nos Estados Unidos e Pacífico Sul fizeram relatos frequentes na década de 1930 sobre transmissões em ondas curtas de El Salvador. Ao que parece que um novo aparato foi instalado em San Salvador por volta de 1935, aparentemente em uma estação de comunicações já existente em algum lugar da região da capital.

Menções sobre novas transmissões em ondas curtas desde El Salvador logo começaram a aparecer em revistas de rádio dos Estados Unidos e Austrália, e a primeira referência conhecida (Australasian Radio World, Agosto de 1936) listava a nova estação YSJ que fora captada na Austrália em 13410 kHz. Aparentemente o log foi de uma transmissão de comunicação, e não de um programa regular de entretenimento.

Em 1937, informes de monitoramento em revistas de rádio davam conta que um novo transmissor de 500 watt fora instalado em San Salvador e que ia ao ar em vários horários do dia com a retransmissão da programação em ondas médias da Radio Nacional (YSS – 864 kHz).  A revista australiana Listener In radio dizia que as transmissões em ondas curtas vinham de um novo rádio-país naquela faixa.

Para atender as condições de propagação, três canais e três indicativos foram empregados para a retransmissão de conteúdos de entretenimento e informação: YSD – 7894 kHz, YSH – 9520 kHz, YSM – 11710 kHz. Entretanto, um canal ia ao ar por vez, o que indicava o uso de apenas um transmissor.

Por volta da década de 1950, um novo transmissor de 1 kW foi instalado para o serviço em ondas curtas da Radio Nacional. Dez anos depois, um transmissor de 5 kW passou a ser usado para retransmissões; na década de 1980, a YSS passou a operar com 10 kW. Pouco depois desse aumento de potência o serviço governamental em ondas curtas foi encerrado.

Ao longo dos anos várias foram as emissoras que operaram em ondas curtas em paralelo com as ondas médias em El Salvador, sendo que em seu auge eram 18 na década de 1950s, todas de cunho comercial. A última emissora que transmitiu em ondas curtas em El Salvador foi a Radio Imperial, com 1,5 kW sob o indicativo YSDA há cerca de doze anos atrás.

El Salvador é geograficamente um país pequeno, e as transmissões em ondas curtas não eram realmente necessárias para assegurar cobertura nacional. Com a introdução do FM, tanto as transmissões em ondas curtas e médias passaram a ser substituídas.

Duas grandes estações clandestinas salvadorenhas permaneceram no ar por vários anos, as quais foi garantida licença, sendo que ambas permanecem no ar, embora em FM apenas. Tais estações clandestinas operaram durante o período da trágica guerra civil que assolou o país entre 1981 e 1992.

Em 10 de Janeiro de 1981, a Radio Venceremos fez sua primeira transmissão a partir de uma caverna em uma região montanhosa e isolada do país, embora existam relatos de que tenha ido ao ar anteriormente a partir de Nicarágua. A maior parte da programação da Radio Venceremos era gravada em fitas cassete e transmitida a partir de qualquer transmissor disponível.

A programação diária de uma hora começava às seis da tarde e continha notícias e informações sobre a guerra civil que não estavam disponíveis a partir de nenhum outro meio. Seu conteúdo era ouvido não apenas por ouvintes neste país devastado pelo conflito, mas também por órgãos de imprensa e políticos em outros países.

O transmissor original, identificado como Viking, com um aplificador de 700 watt, levou ao ar as transmissões da Radio Venceremos em um primeiro período. Outros equipamentos eletrônicos foram usados conforme obtidos e, mudanças frequentes eram necessárias para evitar a captura ou destruição. Quando a operação ficou mais profissional, dois transmissores foram empregados, com programação simultânea em canais próximos.

A Radio Venceremos geralmente transmitia de algum local próximo a faixa de 40 metros, e a frequência variava para evitar jamming. Houve situações em que o transmissor de jamming ia ao ar com programação própria imediatamente após a Radio Venceremos deixar de transmitir, na mesma frequência.

Na busca de conter as transmissões da Radio Venceremos, os Estados Unidos estacionou dois navios na costa caribenha da América Central. Eram dois destróieres da classe Spruance e ficaram no Golfo de Fonseca.

As transmissões dos navios “Caron” e “Diego” consistiam inteiramente de jamming. O sinal dos dois navios era ouvido na América do Norte, Europa e Pacífico Sul. Evidentemente não foram emitidas confirmações para tais transmissões.

Após a assinatura dos acordos de paz, a Radio Venceremos recebeu uma licença para operar em FM, e alguns de seus equipamentos foram restaurados e estão em um museu da cidade.

A história de de outra estação clandestina salvadorenha, a Radio Farabundo Marti, é muito semelhante à Radio Venceremos. A Radio Farabundo Marti fez sua primeira transmissão em 22 de Janeiro de 1982; e hoje também tem uma licença para operar em FM desde San Salvador. Apenas alguns poucos QSLs foram emitidos pela Venceremos e Farabundo Marti e eram cartões ou cartas informais. Em seus primeiros anos, a Radio Nacional emitiu cartões QSL para a recepção de seus sinais em ondas curtas.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx





Rádio Diário da Manhã

9 06 2017

Não é exatamente um QSL, mas deixa saudade a época em que o pessoal das emissoras tinha disponibilidade e costume de redigir longas cartas aos seus ouvintes. A emissora ainda existe, retransmite conteúdo da CBN e obviamente deixou as ondas curtas há um bom tempo.





Nativa FM – Campinas/SP

7 06 2017

A Nativa FM é captada com relativa facilidade tanto via emissora de São Paulo como Campinas. A do interior inclusive já foi confirmada anteriormente e consta em uma postagem antiga. Graças ao SDR foi mais uma emissora que tive a oportunidade de registrar a identificação.

A Nativa FM foi captada em Sorocaba/SP conforme áudio abaixo:





CDXA Internacional

5 06 2017

Embora sejam mais raras nos dias atuais, ainda há transmissões comemorativas de clubes Dexistas em várias partes do mundo. O Club Diexistas de la Amistad, da Venezuela, retornou com este QSL eletrônico o informe da transmissão em modo digital no programa da Italian Broadcasting Corporation via Rádio Miami Internacional.





Japanese radio station on an Australian island

3 06 2017

Adrian M. Peterson

Durante o período da Guerra no Pacífico, circularam diversos rumores de que militares japoneses desembarcaram em áreas isoladas no norte da Austrália, embora seja evidente de que houveram mais rumores e menos desembarques. Algumas histórias do período do conflito dão conta que aviões japoneses chegaram a pousar em pistas no meio da selva no norte, embora seja de conhecimento sobrevoos na costa da Tasmâniae sobre as cidades de Melbourne e Sydney.

Há um desembarque conhecido de japoneses em uma região isolada da costa oeste próxima à Ilha Browse. Um pesqueiro de 25 toneladas, o “Hiyoshi Maru” levou pessoal do exército e marinha do Timor, escoltada no início de sua jornada por um avião Mitsubishi, um bombardeiro leve tipo 99. Os nomes dos japoneses à bordo do navio foram passados pelo operador de rádio, Kazuo Ito.

Durante a tarde de 19 de Janeiro de 1944, três grupos separados do “Hiyoshi Maru” desembarcaram, foram para o extremo norte da costa oeste e filmaram a região com uma câmera de 8 mm.

É provável que Kazuo Ito não usou o transmissor enquanto estava em águas australianas, embora houvessem rumores de que espiões japoneses comunicavam informações críticas pelo rádio. O professor Hiromi Tanaka, que leciona História da Guerra na Academia Nacional de Defesa em Yokosuka, Japão, informou que espiões japoneses viviam em pequenas ilhas próximas à costa do país. As autoridades australianas não possuem registros de eventos do gênero.

Há uma história bem interessante sobre como um espião japonês usou um transmissor na Austrália durante a Guerra no Pacífico: quando ele coletava as informações desejadas, ia com um bote até uma ilha próxima e sintonizava um transmissor de baixa potência em uma frequência logo abaixo de uma emissora de ondas médias. O espião transmitia as informações em Código Morse, e o heteródino era quase impossível de ouvir no continente, exceto por um monitor astuto com bom receptor.

Essa história podia ser verdadeira e foi bastante aceita, embora possua diversas anomalias. De acordo com relatórios do governo, o ouvinte que descobriu tal transmissão vivia em Sydney e que sua origem seria uma ilha próxima a Newcastle, a uma distância de 120 km ao norte. A recepção de um sinal com potência tão baixa seria quase impossível.

O indicativo da suposta estação em Newcastle foi dado, mas na realidade pertencia a um transmissor de ondas médias localizado em Sydney.

Ele dizia que ia com um bote até uma ilha próxima a Newcastle, mas a ilha mais próxima de tal localidade ficava a 320 km ao norte.

Os proprietários da emissora de Newcastle registraram a emissora em nome de uma organização religiosa, que possui centenas delas no mundo inteiro na atualidade, mas nenhuma na Austrália naquela época. Ela foi culpada sem nenhuma ligação com tais eventos, principalmente porque estava fora do ar no período do conflito e quando o espião informou estar ativo.

Optamos por não identificar a emissora nesta histótia para proteger sua inocência. Entretanto, o nome da pessoa que descobriu tal transmissão é conhecido.

Será que esta história é realmente verdade e o informante se baseou em memórias falhas? Ou seria o caso de desinformação? Provavelmente nunca saberemos.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx





FM 90 – Salto/SP

1 06 2017

A FM 90 foi uma das primeiras emissoras a qual enviei correspondência quando comecei no hobby, por mais que não se tratasse de um DX. Além da confirmação recebida na época, fica registrado aqui mais uma identificação, bastante completa por sinal.

A FM 90 foi captada em Sorocaba/SP conforme áudio abaixo: