Confraternização do Regional DX

26 02 2014

Esta foi uma das melhores confraternizações do grupo Regional DX que tive a oportunidade de participar. Excelente comida, boas horas de troca de ideias sobre o nosso hobby e mais um colega que chegou para fazer parte da nossa irmandade Dexista. 🙂

Tudo começou há pouco mais de um mês. Começamos a organizar timidamente um encontro do tipo pois fazia um bom tempo que não tínhamos nada do gênero. Além de uma data boa para a maior parte do grupo tivemos a sorte de dias antes surgir o colega Marcelo Massarani, da cidade de Tatuí. Percebi que ele está bastante animado e trouxe até mesmo alguns QSLs que recebeu nos anos 1980.

Por conta de toda esta animação acredito que o ano de 2014 será bastante produtivo para o nosso grupo. Mutirões de montagens de antenas, encontros e até mesmo DXcamps podem acontecer.

Desta vez tenho apenas uma foto pois falei tanto que faltou tempo para mais registros. 🙂

Por falar em registros, estou me preparando para nos próximos encontros fazer gravações em vídeo com o máximo de qualidade possível. Aguardem!

Lado esquerdo: Luiz Picco, Marcelo Massarani e Alexis Maldonado
Centro: Anderson Lima
Lado direito: Braulio Garcia, Ivan Dias e Gilson Sanches

Anúncios




DX Camp em Guareí

13 09 2013

Este não é o primeiro relato de viagem a agradável cidade de Guareí, localizada na região de Itapetininga/SP. Por conta disso, tampouco seria novidade se falasse das ótimas escutas, das excelentes instalações, da troca de ideias e da ausência de ruído elétrico.

Por conta das qualidades citadas, quase todo ano viajo com o colega Murilo Rodrigues para ao menos uma noite de escutas no local. Desta vez, tive três noites para lotar o HD com gravações do SDR e até mesmo fazer alguns DX em FM.

As antenas: duas Beverage com 200 e 300 metros de comprimento e uma K9AY. As duas primeiras já estavam montadas quando cheguei por lá. A terceira foi montada durante nossa permanência, sendo que construí a parte eletrônica anteriormente.

Sem dúvida alguma foi a DX Camp melhor planejada da qual já participei, sendo que logo na chegada fiz toda a programação de gravações do SDR e com o Icom IC-R75 fui fazendo testes durante os intervalos. Além dos dois receptores citados, levei também um Kenwood KT-6040 e, graças às antenas da Electril usadas pelo Murilo na faixa de 2 metros fiz também muitas escutas na faixa de FM, incluindo reportagens de sinais de emissoras semi-locais que ainda não possuo confirmação.

Todas as antenas demonstraram excelente rendimento e nesta expedição tenho a certeza de que em Guareí consolidou-se por reunir o conjunto com melhor estrutura para quem realmente deseja praticar o Dexismo sério.

As fotos a seguir falam por si. Certamente terei muito o que compartilhar nos próximos meses.

Os equipamentos que utilizei:
Antenas cofasadas da Electril para a faixa de 2 metros:
Antena K9AY – detalhes:
A antena K9AY – visão completa:





DX-Camp em Boituva/SP

20 04 2012

No início de fevereiro tive a oportunidade de participar de uma DX-Camp na “quase vizinha” Boituva/SP. O uso deste temo é necessário pois uma pequena faixa do território de Porto Feliz a separa de Sorocaba.

O evento teve como finalidade testar um local cedido pela tia do colega Luiz Daniel Picco. Com planejamento bem básico fui para uma noite de escutas que está rendendo bastante trabalho, pois o volume gravado com o SDR foi considerável. A ideia é poder organizar outros encontros na mesma localidade no futuro.

Nível muito baixo de ruído elétrico e bastante espaço para antenas são os principais pontos positivos. A distância de Sorocaba sem dúvida é um atrativo para os colegas do grupo Regional DX.

Em breve terei muitos áudios para compartilhar. Espero que os QSLs venham em mesmo volume.





DXCamp em Apiaí/SP

5 03 2012

No último mês de Dezembro tive a oportunidade de viajar até Apiaí/SP para caçar as populares emissoras caribenhas na faixa de FM. Fiquei na casa do meu irmão, algo que trouxe comodidade, liberdade e obviamente tudo o que faz parte de uma visita familiar.

Começo destacando positivamente o uso do SDR. Por ser uma viagem primariamente familiar, sem ele a quantidade de escutas seria muitíssimo menor. Poder gravar 2 MHz do espectro é algo sensacional!

Foram quatro noites de muitas captações. Algumas aberturas chegaram a durar mais de seis horas, algo que eu jamais tinha presenciado. Durante o dia, nada de espetacular, infelizmente.

Trouxe cerca de 1 Terabyte em arquivos do SDR para posterior processamento. Aqui é importante refletir sobre um ponto que já vi discussões há algum tempo.  Dois meses depois da viagem consegui analisar apenas 4 MHz de um total de 20 em gravações. A produção foi elevada, mas ninguém inventou um aparelho capaz de multiplicar meu tempo e fazer com que a análise das gravações seja mais rápida. De qualquer forma não pretendo jogar fora o trabalho que fiz e irei adiante, demore o quanto for.

Esta viagem ocorreu 10 anos depois da minha última passagem por lá, oportunidade na qual fiz algumas escutas com um Sony ICF-SW7600G. Por conta dela consegui meus primeiros QSLs de emissoras caribenhas.

Muitos informes já foram enviados, todos com PPC artístico. Apesar de ainda não ter recebido nenhuma resposta, espero que ajude a fazer com que o meu número de países confirmados aumente substancialmente.

Até o momento da preparação deste post identifiquei emissoras de Guadalupe, Martinica, Dominica e Antígua & Barbuda. Certamente muito mais virá. Os áudios e imagens das confirmações serão compartilhados por aqui.

Como nem tudo é Dexismo, deixo abaixo um pequeno aperitivo das belezas da cidade:

Voltando ao Dexismo, a imagem a seguir é da antena FM-5. Detalhes construtivos dela já foram publicados aqui. Mesmo não sendo espetacular em termos de rendimento, dá para o gasto em DXcamps por sua relativa portabilidade. É superior a qualquer antena nacional do gênero.





Mais uma confraternização do Regional DX

31 01 2012

Alexis de Pontes Maldonado

E lá se vai 2011… Mais um ano que passa, fato que parece se acelerar a cada ciclo. Talvez um sintoma da idade ou apenas consequência de nosso “saudável” estilo de vida, cada vez mais corrido. Mas isso não vem ao caso agora, o que realmente importa é preservar a lembrança dos momentos agradáveis que passamos e assim construir nossa história.

Isso é o que vem acontecendo com nosso grupo, o Regional DX. Trata-se de um grupo de Sorocaba-SP e região (do qual faço parte), que agremia apaixonados por rádio e que surgiu timidamente em… desculpem, realmente não me lembro da data, mas algo em torno de dez anos atrás. Digo timidamente porque nenhum de nós planejou sua formação, fomos nos conhecendo aos poucos, via e-mails e telefonemas, uns solitários, outros que já conheciam mais simpatizantes e, um belo dia, com a constante boa vontade e entusiasmo do amigo Ivan, decidimos: “ok, vamos marcar um encontro”.

Mas a idéia de formar um grupo ainda não havia nascido, foram apenas alguns encontros para nos conhecermos pessoalmente, trocarmos informações e mostrarmos QSLs. O conceito de agrupamento foi surgindo ao longo do tempo. Vários companheiros vieram e se foram, alguns participaram de um encontro apenas, mas o cerne continua firme, a despeito dos percalços. Surgimos entre Sorocaba e Votorantim, mas com o tempo ultrapassamos outras fronteiras, alcançamos Boituva, Cerquilho, Registro… Claro que com essa expansão, nem todos podem participar de todos os eventos, em função de distância e outras questões que não nos compete julgar. Mas isso não impede de nos mantermos ativos, sempre em contato, ainda que eletronicamente. Tanto que atualmente, os assuntos vão muito além do rádio; descobriu-se em nosso meio também amantes de astronomia (me incluo aqui), dentre outros temas.

Deixo claro que não somos um clube, não temos diretoria constituída, tampouco regime de mensalidade. Somos apenas amigos que se reúnem em torno de um hobby em comum, todos num mesmo patamar, sem qualquer hierarquia. Todos têm algo a oferecer e não há qualquer preconceito relacionado ao nível de conhecimento. Acredito que essas características foram decisivas para nos mantermos unidos por tanto tempo, ainda que nos vejamos apenas uma vez por ano, em alguns casos.

E, mantendo a tradição, realizamos no dia 22/12/2011 nossa confraternização de fim de ano, desta vez numa famosa pastelaria da cidade, onde o rodízio de pastéis é entremeado por um de pizzas! (Haja calorias!). José Luiz, munido de suas cartas de navegação aérea, acompanhado de seu irmão Gilson, contaram suas peripécias de observação astronômica e de sua visita à estação VOR de Sorocaba (o José Luiz também mostrou sua infinidade de kits eletrônicos, todos iniciados mas nenhum terminado!); o Bráulio narrou suas aventuras para encontrar sinal de celular via rádio em locais remotos; o Ivan levou uma verdadeira biblioteca de dexismo e seu fantástico receptor Grundig Satellit 2000 e eu apresentei aos amigos meus primeiros receptores de OC, heranças de meu avô e bisavô. Enfim, cada um com uma história para contar ou algo a mostrar. Em meio a pastéis, pizzas e muitas risadas, batemos aquele papo agradável de sempre. E ao final, todos saímos presenteados com souvenires que marcaram o encontro. Partimos já com saudades e ansiosos pela próxima reunião.

Assim, encerramos 2011 satisfeitos com a união do grupo que, apesar de pequeno e sem regras estabelecidas, se mantém ativo há tanto tempo e cumprindo sua principal função: aproximar amigos com preferências e objetivos em comum.

Feliz 2012 a todos!

Algumas fotos do encontro:

José Luiz, Braulio, Ivan e Gilson

José Luiz e Braulio

Alexis e Gilson com alguns do brindes compartilhados no encontro





DX Camp em Garopaba

10 11 2011

Tudo começou após um convite do colega Anderson Torquato… Depois de uma passagem não muito frutífera por Garopaba há quase dois anos, persistia a vontade de poder ouvir e posteriormente reportar as FMs caribenhas que tanto são ouvidas por colegas da Região Sul. Bastaram alguns poucos emails para acertar os detalhes da viagem e comprar a passagem de avião.

Dentre as principais diferenças com relação a minha primeira passagem por lá estavam o fato de poder levar uma antena específica para FM (Proeletronic PQFM-1000) e ter em mãos um conversor que permitia, em conjunto com o meu SDR, gravar até dez transmissões na faixa de FM de uma só vez (2 MHz).

Na véspera, após um cansativo plantão voltei para Sorocaba e por volta das 02:00 já estava na cama tentando dormir. Sim, pois por conta da ansiedade da viagem o meu sono não foi dos melhores. De qualquer forma, às 04:00 do dia 09/10 estava de pé pois precisava fazer as malas e tentar sair o mais breve possível pois meu voo partia de Guarulhos às 11:00. Fiquei preocupado quanto a possibilidade de deixar alguma coisa em casa, pois o cansaço era grande.

Às 06:30 começou a minha viagem à São Paulo. Dentro do tempo esperado já estava no Terminal Rodoviário Barra Funda. Precisava ir até o guichê do Airport Bus Service (que fica no final do corredor das empresas) comprar meu bilhete para ida até Guarulhos, mas aí comecei a sofrer… Estava com uma bolsa com 15 kg, a antena da Proeletronic e uma mochila com aproximadamente 5 kg e tinha como bônus um calor que fazia com que carregar a bolsa fosse uma tarefa nada agradável. Para piorar, estava com dúvida quanto ao peso da minha bagagem (o limite é 23 kg). Antes de comprar a passagem tive de passar na farmácia da rodoviária para conferir o peso. Resultado: suor e cansaço logo no estágio inicial da viagem. Pelo menos não estourei o limite de peso. Se já estava sofrendo com 15 kg, o que seria de mim se estivesse com os 23 kg? 🙂

Embarquei no ônibus com destino à Cumbica e o cansaço acumulado levou-me ao primeiro cochilo. Em menos de uma hora já estava no aeroporto e felizmente livre do peso da bagagem (carrinho salvador!). A pior preocupação da viagem estava por vir. Como a gôndola da antena tem cerca de dois metros e não tinha nenhuma proteção além da embalagem plástica, comecei a pensar que teria dificuldade para despachá-la. Lentamente o check-in avançou e para o despacho em si não tive nenhum problema, mas tive que assinar uma declaração de embalagem inapropriada e que havia risco de dano na minha bagagem. Da minha janela pude ver a antena no carrinho de bagagem rumo ao respectivo compartimento do avião. Infelizmente não me restava nada mais que torcer para a antena chegar inteira em Florianópolis.

Voo extremamente desconfortável. Turbulência do início ao fim e pouso apenas na segunda tentativa. Por conta disso o serviço de bordo limitou-se aos assentos dos extremos do avião. Para os demais ficou disponível no desembarque.

Saindo de São Paulo e já com a presença das formações que tornariam a viagem tão desagradável:

Chegada em Florianópolis:

Primeira tentativa de pouso. O estádio em azul é a Ressacada, onde o Avaí manda seus jogos.

Fiquei bastante irritado, pois a necessidade de nova tentativa de pouso fez com que o voo demorasse mais e eu queria estar em terra o quanto antes, afinal uma longa jornada ainda me aguardava. Apesar disso tive a oportunidade de capturar uma bela imagem antes do pouso. Infelizmente não consegui evitar a presença da winglet.

Enfim, o pouso:

A máquina que me trouxe até Florianópolis:

Após o desembarque começou a expectativa quanto ao estado da minha antena. Felizmente, nenhum dano. Peguei um táxi e em poucos minutos estava na rodoviária de Florianópolis. Novo sofrimento com o peso da bagagem. O guichê da empresa Paulotur ficava longe do local do meu desembarque. O calor estava mais intenso que em São Paulo e o abafado era implacável. Mais cansaço e espera de mais de uma hora até a chegada do ônibus com destino à Garopaba. Aproveitei para fazer um lanche e descansar. A aventura estava longe de acabar…

Ponte Hercílio Luz:

Cansaço por conta do peso da bagagem, das poucas horas de sono, do plantão do dia anterior, calor, torpor. Mal registrei a foto acima e literalmente desmaiei. Quando a viagem estava próxima do fim, na cidade de Paulo Lopes tomei um susto imenso com o som de um estouro. Era o pneu do ônibus. Aos poucos meus planos de erguer a antena com a presença do Sol iam por água abaixo. Depois de algum tempo parado, o ônibus seguiu lentamente pelo acostamento da BR-101 até um posto. Por ironia do destino, Posto Sorocaba. Infelizmente não havia borracheiro no momento. Novamente seguimos lentamente até o próximo posto. O som metálico ao final do trajeto fazia com que todos sentissem bastante apreensão.

Ao chegar no posto havia borracheiro, mas o ônibus não tinha estepe. Ouvi infindáveis críticas ao serviço de tal empresa e pelo pouco que passei vejo que a rotina de quem viaja por tal empresa é estar não raro em ônibus velhos e mal conservados. A chegada do socorro demoraria horas e a nossa sorte foi o fato de um motorista morar naquela região.

Consegui chegar em Garopaba apenas por volta das 18:00. O Anderson estava esperando por mim. Mal cheguei e apesar de já ser noite começamos a montar a antena da Proeletronic. Infelizmente a Tep não durou mais que dez minutos. Não cheguei a me queixar, pois o cansaço era muito grande. Em pouco tempo estaria dormindo.

Acordei no dia seguinte bastante tarde e após o almoço comecei a reportar emissoras que deixei de lado em minha primeira passagem por Garopaba. No meio da tarde recebi a visita do colega Fábio Matos. Excelente bate papo sobre variados assuntos, desde questões relacionadas ao funcionalismo público às relacionadas ao nosso hobby, claro. Outro aspecto positivo é que consegui fazer a unidade MP3 do Degen DE1121 do Anderson voltar a funcionar. Pena não ter muito o que gravar, pois a Tep foi pífia.

Felizmente o terceiro dia reservou muito mais alegrias que as noites anteriores. Além das caribenhas, tivemos a oportunidade de captar algumas emissoras do Nordeste. No final da noite recebemos a visita do Fábio e provamos um excelente cachorro-quente. O dia seguinte reservaria mais alegrias, mas poucas escutas.

Escutas estampadas na alegria dos Dexistas:


Ivan, Anderson e Fábio:

Meu retorno começava estava próximo. O quarto dia começou com um excelente churrasco capitaneado pelo Fábio, que veio com sua esposa prestigiar nosso almoço. Ela inclusive foi responsável pela compra de uma iguaria que eu simplesmente adoro e deu um toque a mais de sabor ao churrasco: molho chimichurri.

Da direita para a esquerda: Ivan, Fábio e sua esposa

Aproveitei e tirei fotos da minha antena e da utilizada pelo Anderson:

Todos de barriga cheia e fomos até Tubarão visitar o colega Fabrício Silva. Foi um prazer imenso ter conhecido um colega com o qual já mantinha contato há um bom tempo pela internet. Sua coleção de QSLs é um show à parte. O Anderson não perdeu a oportunidade e entrevistou o Fabrício. Em breve o material será publicado.

Fabrício, Anderson e Fabrício:

Fabrício e sua antena loop blindada:

Fábio, Ivan e Fabricio:

Anderson entrevistando o Fabrício:

Panorâmica do terraço do QTH do Fabrício:

Além de praticamente concluir a varredura do espectro em busca de emissoras da região não reportadas, à noite visitei junto com o Anderson a Rádio Frequência, que transmite em 1380 kHz e não raro pode ser ouvida em Sorocaba. À noite, mais uma excelente abertura para o Nordeste e novas escutas de FMs do Caribe.

Estúdio da emissora durante a apresentação de um programa esportivo:

Estúdio de gravação da emissora:

Junto ao banner da emissora:

Chegou meu último dia em Garopaba! Levantei um pouco mais cedo para concluir a varredura do espectro regional e após o almoço visitei com o Anderson o local em que fica o transmissor da Rádio Frequência. Muita agitação nos aguardava…

Casa que abriga o transmissor de 1380 kHz:

Antena do link de microondas:

Transmissor de Ondas Médias:

Receptor do link de microondas e modulador:

Detalhe da saída de antena:

Antena de Ondas Médias:

Após o retorno de tal visita recebemos novamente o Fábio que veio para despedir-se de mim. Mais alguns minutos de bom papo e palavras de incentivo para dois colegas que moram em uma excelente região para o Dexismo em geral.

O restante da tarde foi dedicado à visita a várias praias de Garopaba. Paisagens de tirar o fôlego em mais um gostoso passeio de moto. Muitas imagens foram guardadas no meu acervo pessoal. Durante a noite tivemos a oportunidade de presenciar mais uma abertura para o Nordeste, com emissoras do Ceará, Maranhão e Piauí sintonizadas. Obviamente as caribenhas foram novamente ouvidas e quando pensávamos que a festa tinha chegado ao fim, ouvimos a Rádio Mágica, de Lima/Peru, em 88,3 MHz.

Mais uma noite de alegria:

Na manhã seguinte levantei com aquele clima de fim de festa. Por mim ficaria mais, mas deveres, compromissos pessoais e minha passagem já comprada diziam que era hora de ir. Após desmontar a antena e preparar minha bagagem comi meu derradeiro almoço, fui entrevistado pelo Anderson e já com saudade me despedi de sua família e fui embora.

Efetuei o retorno com bastante antecedência por receio de que algo pudesse acontecer no trajeto com o ônibus da Paulotur. Alguns livros que tinha em mãos e uma ligação para Sorocaba ajudaram a fazer a espera pelo vôo mais fácil de aguentar. O retorno foi bem mais tranquilo e sem turbulência. Por conta do horário de verão cheguei em casa por volta das 01:00, com muito cansaço inerente à viagem e com um HD de 1 Terabyte cheio de gravações do SDR para posterior escuta. Conforme houver o processamento delas seu conteúdo será disponibilizado no blog.

Considero esta uma das melhores viagens que já fiz com o propósito de ouvir rádio. Evidentemente há bate papo, mas o foco não é “piquenique dexista” e sim fazer boas escutas de emissoras distantes e que serão posteriormente reportadas.

Aproveito a oportunidade para deixar registrado meu agradecimento pela hospitalidade do Anderson e sua família, que durante uma semana teve paciência e demonstrou amabilidade única. É muito bom receber o convite de um Dexista para ir a sua casa com o propósito de ouvir rádio. Parece bobagem dizer isso, mas infelizmente conheço exemplos em que certamente esse não é o foco. Também fui embora feliz por saber que o Dexismo ainda pode servir como ferramenta para obtenção de excelentes amizades.

Para encerrar deixo aqui meu agradecimento a um amigo que no início foi meio carrancudo comigo, mas que no último dia da visita estava tão acostumado com a minha presença quanto o restante da família do Anderson. Com vocês, o Hulk!





Fenarcom 2011

8 11 2011

Por conta da programação de palestras me animei bastante para ir até Indaiatuba participar da edição 2011 da Fenarcom. Como estava de folga e a distância não é tão grande (cerca de 65 km) resolvi pegar o carro e fazer uma viagem que realmente valeu muito a pena. A razão pela qual não participei de edições anteriores foi o fato de não haver palestras do meu interesse. Lembrando que o evento é voltado primariamente ao público radioamadorístico.

O dia começou sob intenso calor. Logo na chegada tive a felicidade de encontrar um colega que há anos via: Anderson Assis Oliveira, de Itaúna/MG.

Como já eram mais de 13:00 resolvi almoçar. Inicialmente contei com a presença do colega Rudolf Grimm e na sequência o Flávio Archangelo juntou-se ao grupo.

Com pouco tempo entre o almoço e a palestra de QRM de linha visitei o estande de rádios antigos do Adinei Brochi (PY2ADN), onde tirei algumas fotos. Pena não ter a oportunidade de conhecê-lo pessoalmente.

Pouco antes da palestra aproveitei e registrei algumas fotos panorâmicas da feira:

Duas palestras despertaram meu interesse: uma sobre QRM da rede elétrica e outra sobre Digital Radio Mondiale. Por conta da segunda ser no domingo, infelizmente assisti somente ela. Sem dúvida o Fred Carvalho (PY2XB) foi simplesmente sensacional. Aprendi muita coisa e também muitos mitos sobre o assunto foram derrubados. Fiquei bastante animado com o conteúdo apresentado e pude perceber que com uma certa dose de paciência e trabalho esta verdadeira praga do éter pode ter sua ação nefasta reduzida ou mesmo eliminada.

Ao final da paletra o Fred me atendeu de forma bastante cortês e com ele consegui os arquivos da palestra. Como ele permitiu, resolvi publicá-lo, pois considero de extrema importância.

Para baixar o conteúdo da palestra clique em Apresentação – QRM Linha.

Para baixar o complemento da apresentação clique em Anexo – Apresentação – QRM Linha.

Para baixar um TCC de alunos da UFPR sobre o subdimensionamento de isoladores, clique  em w1rtc_notes1.

Para baixar o artigo da ARRL de um detector ultrassônico de fontes de ruído, clique  aqui.

Para baixar notas adicionais sobre o circuito acima, clique aqui.

Ao final compartilhei os arquivos com o colega Luiz Tresso, com quem tirei uma foto:

A diversão estava longe de chegar ao fim. Depois de deixar a feira fui visitar a emissora local de Ondas Médias, a Rádio Jornal, que transmite em 1470 kHz. Tal visita surgiu de uma tentativa de última hora. Minutos antes de sair de Sorocaba liguei tanto na Rádio Jornal quanto na Clip FM para verificar a possibilidade de conhecê-las. Infelizmente na Clip FM não havia quem pudesse me receber. Cheguei por volta das 17:30 e ao tocar a campainha algumas vezes pensei que também já não houvesse ninguém. Quando estava quase desistindo, o Sr. Nivaldo, apresentador do programa “Varanda do Nivaldo” atendeu e convidou-me para conhecer a emissora.

A felicidade foi maior ainda quando fui convidado pelo Sr. Nivaldo a participar do seu programa. Durante quase 10 minutos pude falar um pouco sobre o nosso hobby para os ouvintes de Indaiatuba e região. Pessoa de enorme talento e igual amabilidade, não posso deixar de registrar meu agradecimento.

Com o Sr. Nivaldo e posteriormente com o técnico Leandro fiz vários outros registros dessa maravilhosa visita:

Sempre lembrarei da cortesia na recepção bem como pela excelente participação no programa “Varanda do Nivaldo”. Ao sair da emissora sintonizei os 1470 kHz e ainda pude ouvir uma bonita saudação quanto a visita.