Nova emissora de ondas curtas na Austrália

23 07 2017

Adrian M. Peterson

Surpreendendo a todos, uma estação comercial de ondas médias da Austrália obteve licença para retransmitir sua programação em paralelo na faixa de ondas curtas. Tal situação por parte de uma emissora comercial vai no sentido diametralmente oposto da ABC e Rádio Austrália, que desativou toda sua rede de estações de ondas curtas. O gerente da emissora 4KZ, de Innisfail, North Queensland, anunciou que o transmissor de ondas curtas seria inaugurado em Maio e levaria ao ar a programação a áreas despovoadas do interior do norte da península e do golfo.

Nos últimos anos, algumas poucas emissoras de ondas curtas de baixa potência foram inauguradas na Austrália, embora geralmente de hobistas e de forma esporádica. No período que antecedeu a II Guerra Mundial, um número significativo de estações amadoras transmitiram programação local em ondas curtas em horários irregulares. Em algumas ocasiões, o engenheiro da emissora retransmitia a programação de ondas médias com um transmissor radioamadorístico, o que acabou por evoluir para uma estação de ondas curtas propriamente dita.

O uso das ondas curtas para aumentar a área de cobertura de uma emissora de ondas médias é algo incomum nos dias atuais e, no caso da Austrália, ocorreu apenas em três ocasiões. Vejamos a história delas, com todos os eventos em ordem cronológica, que começaremos com duas estações planejadas e que nunca foram ao ar.

Em 1925, o Partido Trabalhista anunciou planos de estabelecer uma emissora de ondas médias em Sydney, a maior cidade da Austrália. Os indicativos seriam 2IC, 2TH e 2LC, embora quando fora inaugurada, o indicativo adotado foi 2KY, que está no ar ainda hoje.

A 2KY foi oficialmente inaugurada no Trades Hall, situado à 4 Goulburn Street em Sydney em 31 de Outubro de 1925. Em um dos vários discursos de inauguração, o Engenheiro Chefe Ernest Beard informou que estava em curso a instalação de um transmissor adicionai, para ondas curtas, com o objetivo de aumentar a área de cobertura. Devido a diferenças políticas, a licença para esta não foi concedida.

Em Maio de 1928, outra emissora comercial solicitou uma licença para operar em ondas curtas, com potência de 5 kW em 70 ou 80 metros para cobertura do centro do país. A estação comercial 5CL tinha estúdios na Hindmarsh Square, em Adelaide, e um transmissor novo para ondas médias de 5 kW ficava em Brooklyn Park.

Na mesma época em que a 5CL teve a licença em ondas curtas negada, a emissora de ondas médias 3UZ, de Melbourne, desenvolveu seu serviço em ondas curtas. Sete anos depois ela passou a ser controlada pela divisão sul da rede da ABC.

Agora prosseguiremos com a história de quatro ocasiões em que uma emissora de ondas médias australiana obteve licença para operar em ondas curtas, sendo a primeira a já mencionada 3UZ.

Em Abril de 1928, o Engenheiro L. C. Glew começou a retransmitir a estação comercial 3UZ, desde Melbourne, Victoria, em ondas curtas por seu transmissor amador a partir de uma casa no subúrbio. Tal procedimento era bastante comum tanto nos Estados Unidos como Austrália naquela época.

Dois anos depois ele completou a construção de um transmissor de ondas curtas adicional, que foi instalado com um de ondas médias nos estúdios localizados à 45 Bourke Street, em Melbourne. A potência original era de 120 watts, valor aumentado posteriormente para 500 watts. A programação era captada aproximadamente na frequência de 9725 kHz.

A estação comercial de Adelaide 5AD organizou seu próprio clube DX, e ia ao ar geralmente aos domingos com programação especial para os ouvintes de ondas curtas. Em 1934, os programas eram transmitidos pela estação amadora VK5WB, e em seguida a 5AD Radio Club obteve sua licença e transmissor de ondas curtas e foi ao ar sob o indicativo experimental VK5DI.

A estação de ondas curtas VK5DI foi inaugurada durante o ano de 1935 e ia ao ar geralmente em duas sessões diferentes aos domingos, inicialmente na faixa de 40 metros, e em anos posteriores nos 20 metros. As transmissões em ondas curtas da 5DI eram captadas na Austrália, Nova Zelândia e ocasionalmente nos Estados Unidos.

Ela também usou o canto do pássaro Kookaburra no início das transmissões, assim como várias outras emissoras de ondas curtas do país naquela época. A última transmissão da 5DI foi feita no dia 13 de Agosto de 1939; e durante o início da II Guerra Mundial o pequeno transmissor foi guardado no escritório do jornal da cidade, onde foi exposto à visitação pública.

A programação que ia ao ar aos domingos era sempre ao vivo, e consistia de destaques das transmissões da estação de ondas médias 5AD na semana anterior. Os informes de recepção eram confirmados com cartões QSL.

According to the available news releases, the new commercial shortwave service from 4KZ at Innisfail in North Queensland is scheduled for introduction during this month of May (2017). The suggested operating hours are from 4:00 pm to 9:00 am daily with 1½ kW on 5055 kHz. The antenna system is an inverted V, beamed a little to the northwest.

Innisfail é uma pequena cidade costeira com 30 mil habitantes. As principais fontes de renda são o turismo, frutas tropicais e açúcar. A produção anual de bananas é de 9 mil toneladas e a produção de cana é de 3,1 milhões de toneladas. O maior moinho de açúcar do país fica próximo a Ingham.

A 4KZ foi inaugurada em Innisfail em Setembro de 1967 com 5 kW em 531 kHz, potência que posteriormente foi elevada à 10 kW. Na atualidade o grupo conta com as seguintes emissoras: 4KZ e quatro estações coligadas, oito retransmissores de baixa potência, com um total de 20 transmissores de ondas médias e FM. Isso proporciona ampla cobertura na península Cape York e áreas adjacentes ao Golfo de Carpentaria. O gerente, Al Kirton, também é um rádio amador em Queensland, com o indicativo VK4FFKZ.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx





Uma nova estação de ondas curtas em construção nos Estados Unidos

15 07 2017

Adrian M. Peterson

A edição de Abril do New Zealand DX Times publicou a surpreendente informação de que uma nova estação de ondas curtas está em construção nos Estados Unidos. Ela é de propriedade da International Fellowship of Churches, que fica próxima a cidade de Beowawe, no estado de Nevada, e foi licenciada com o indicativo KIMF.

Curiosamente, há doze anos houve o projeto de uma outra emissora com o mesmo indicativo, mas para outra localidade.

A edição de 2003 do World Radio Handbook continha os dados de uma estação planejada com o indicativo KIMF. Ela seria localizada próxima a Pinon, no estado do Novo México, e iria ao ar em ondas curtas com um transmissor de 50 kW a partir das frequências de 5835 kHz e 11885 kHz. O plano original indicava que entraria em operação entre o final de 2003 e o início de 2004.

A pequena cidade de Pinon tem uma população inferior a 100 pessoas e fica no sul do estado do Novo México, aproximadamente no meio do caminho entre o Arizona (oeste) e Texas (leste). O proprietário e presidente da nova emissora era James Planck, e o endereço postal era em Rancho Cucamonga, no subúrbio de Los Angeles, Califórnia.

Tal informação foi publicada em quatro edições consecutivas do World Radio TV Handbook, de 2003 a 2006. Nenhuma das edições anteriores ou posteriores a tais anos possui qualquer menção à KIMF.

Portanto, não houve dados de que o projeto chegou ao fim. Com a recente informação vinda da Nova Zelândia em Abril, a história da estação de ondas curtas KIMF foi reaberta. Relatos posteriores afirmam que as informações atuais sobre ela são mesmo corretas.

Em 2015, James Planck começou a apresentar um programa com quatro horas de duração via KVOH no período noturno. No ano passado tais transmissões foram encerradas para que pudesse estabelecer sua emissora de ondas curtas.

A nova localização da KIMF fica a oeste de outra cidade pequena, Beowawe, em Nevada. Ela possui uma planta de geração de energia geotérmica e também uma população de menos de 100 pessoas.

O terreno da estação fica no norte de uma rodovia próxima a Beowawe. Fotos da área mostram que eh levemente escarpado e com leve aumento de altitude.

O prédio que abrigou o transmissor é de madeira e já está construído, bem como também há alguns equipamentos eletrônicos instalados. Ao menos um dos sistemas de antena já foi erguido. A área alvo pretendida é a América Latina e Ásia.

Quando estiver totalmente operacional, contará com dois transmissores: um Harris de 50 kW e um listado como PTS de 100 kW. Estão nos planos quatro antenas rômbicas. Os canais registrados correspondem às frequências de 6065, 9300 e 13570 kHz.

A International Fellowship of Churches continua a ser comandada por James Planck e informa em seu site que planeja construir estações adicionais em ondas medias e curtas em locais estratégicos de forma a obter cobertura mundial. O grupo conta com uma emissora de ondas medias em Honduras, a HREZ, na cidade de Comayaguela, com 1 kW em 1490 kHz. A organização opera em Honduras com o nome International Missionary Fellowship, cuja abreviatura é IMF, o que remete ao indicativo norte americano KIMF.

Seu site também informa que também há uma emissora de ondas curtas que co habita o sítio transmissor de ondas médias em Honduras e que esta no ar. Há alguns anos isso de fato aconteceu e ela operou em 3340 e 5010 kHz. Entretanto, mais recentemente tais frequências estão em silêncio, mas há planos de reativar tais transmissores em breve.

A programação será produzida em um estúdio em Los Angeles com link via satélite até o transmissor. Seu endereço postal no moment0 é 9102 Reserve Drive, Corona CA 92883, Estados Unidos.

Ao que parece ela entrará em operação muito em breve. Fica apenas a questão: quem será o primeiro ouvinte a captá-la?

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx





A história de uma emissora de ondas médias que foi construída para ser destruída

25 06 2017

Adrian M. Peterson

No meio do século passado os Estados Unidos desenvolveram capacidade nuclear e bombas foram lançadas em território norte americano, Japão e no Pacífico. No início de 1955, uma pequena cidade foi construída perto do município de Mercury, no estado de Nevada, especificamente para uma série de explosões de teste.

Essa pequena cidade artificial foi batizada como Survival Town, e construída especificamente para que pudesse ser destruída com a explosão de uma bomba atômica. Ela tinha dez casas mobiliadas, mercados, linhas de transmissão de energia e postos de combustível.

Além disso, havia uma emissora de rádio instalada em um bunker, com uma janela fechada de frente à área de explosão. A emissora de ondas médias era licenciada pela FCC com o indicativo experimental KO2XDN.

A emissora KO2XDN irradiava 250 watts em 1240 kHz com duas torres; uma estaiada e a outra auto portante. A programação vinha de uma fita sem fim e era simplesmente uma mensagem gravada informando o propósito da emissora, assim como alguns detalhes técnicos. Começou a transmitir em 26 de Abril de 1955 e foi ao ar algumas horas antes do anoitecer que antecedeu a explosão atômica.

A primeira explosão, programada para o dia 29 de Março falhou. O segundo teste do projeto foi bem sucedido e ocorreu dez segundos após o meio dia de 5 de Maio de 1955.

Na hora da explosão, a emissora KO2XDN foi silenciada, a torre auto portante destruída e a estaiada dobrada na parte superior. Outras construções e estruturas também foram danificadas ou destruídas devido a força emitida pela explosão da bomba atômica. Alguns dos equipamentos eletrônicos da emissora foram tirados do lugar.

A emissora foi programada para voltar ao ar três minutos após a explosão, mas continuou em silêncio. Verificações posteriores revelaram que o cabeamento de energia que ia até ela foi rompido com a explosão.

No dia seguinte, quando o cabeamento foi reconectado e os equipamentos eletrônicos colocados novamente no local correto a emissora voltou ao ar para sua transmissão final. Então ela foi desmontada e removida.

E quanto a cartões QSL? Curiosamente, vários Dexistas receberam confirmações dessa curiosa emissora. Cartas com detalhes completos e sobre os eventos associados foram preparadas e enviadas para cada informe recebido. As cartas QSL foram enviadas de Battle Creek, Michigan, e sabe-se que ao menos seis ouvintes tiveram a sorte de receber uma lembrança permanente desse tipo incomum de escuta.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx

 





O fim de mais um retransmissor da Voz da América

17 06 2017

Adrian M. Peterson

Durante o mês de Janeiro, começou a remoção de 500 mastros de antena da propriedade pantanosa do que foi uma das maiores estações marítimas que já existiu. Ela foi ao ar com o famoso e histórico indicativo WOO; seu sinal em ondas curtas era captado em quase todo o planeta; durante os anos da II Guerra Mundial foi um importante retransmissor da programação da Voz da América; e a remoção dos mastros é o estágio final de uma estação de ondas curtas cuja história será sempre lembrada.

Antes de começar esta longa e incrível história, gostaria de agradecer a Ray Robinson, que está servindo na emissora Gospel de ondas curtas KVOH, de Los Angeles. Ray nos alertou sobre o capítulo final da estação marítima de ondas curtas WOO, de Ocean Gate, na costa de Nova New Jersey. E agora vamos a história.

Os 70 anos de serviços oferecidos pela AT&T em Ocean Gate incluem o período experimental de desenvolvimento das ondas curtas, seu crescimento em cobertura a nível mundial e o que alguns veem erradamente como a queda de sua importância.

Em 1929, a AT&T adquiriu uma porção de 175 acres de terra em frente ao mar em Good Luck Point, na foz do rio Tom, em frente a Ilha Long Beach. Esta propriedade na costa do Atlântico, a 120 km de Nova Iorque foi adquirida com o propósito de instalar uma grande estação marítima.

A elevação média da propriedade era de apenas 45 centímetros acima do nível do mar, então foram instalados canos de drenagem em volta do prédio dos transmissores. Os equipamentos instalados originalmente incluíam um transmissor de 15 kW e duas antenas a 22 metros de altura.

O indicativo primário sempre foi WOO, transferido de uma estação menor operada pela AT&T próxima a Deal Beach, também na costa de Nova Jersey.

Seguindo o confuso costume da época, ao longo dos anos indicativos adicionais foram empregados em Ocean Gate para identificação de cada transmissor assim como para cada canal em ondas curtas. Eles eram formados por três letras, em uma série começando com WD e WO, por exemplo, WOA e WOZ, WDI e WDL.

O prédio que abrigava os transmissores tinha três andares e um porão, de onde vinha o aquecimento para o restante da construção. Vários sistemas de antenas foram instalados em locais pantanosos, alguns dos quais eram ilhas de maré baixa.

O andar térreo abrigava geradores e transformadores de grande porte. O piso era coberto com cortiça grossa para amortecer vibrações.

O andar superior abrigava os transmissores e chaveadores de linha da estação receptora distante 32 km e dos sistemas de antena. Ao longo dos anos, novos transmissores foram instalados e os antigos removidos.

A estação WOO da AT&T em Ocean Gate entrou em operação em 1930, com direito à publicidade no jornal local. O propósito inicual da Ocean Gate Radio era de estabelecer contatos com embarcações no Atlântico e para comunicação com estações em terra na Europa e América do Sul.

Embora ela tenha sido construída primariamente para comunicações comerciais, em diversas ocasiões levou ao ar programação destinada a retransmissão em ondas médias na Europa e América Latina. Durante o período da guerra, ela foi usada pelo Escritório de Informação de Guerra, para retransmissão da Voz da Américaà Europa, América do Sul e Pacífico Sul.

Inicialmente, a estação receptora da WOO/Ocean Gate ficava em Forked River, a 16 km de Ocean Gate. Uma nova estação de recepção foi construída em Manahawkin, na costa a 16 km de Forked River e quando ativada, Forked River foi fechada.

Em Maio de 1942, o serviço de quatro horas de duração da VOA para a Austrália e Pacífico Sul foi implementado via Ocean Gate Radio, com os indicativos WOJ e WOK. Durante os dois anos seguintes, um total de dez canais em ondas curtas e indicativos foram ao ar com programação da VOA para recepção direta bem como retransmissão no norte da África e Inglaterra.

O sinal da Ocean Gate Radio era captado na Austrália e Nova Zelândia geralmente com boa qualidade. É provável que essas transmissões fossem feitas com uma potência de 20 kW.

Por exemplo, em várias ocasiões a WOO foi captada em 12840 kHz com retransmissão da VOA em paralelo com a WGEO, de Schenectady, Nova Iorque. Então, a WOO9 foi captada com retransmissão da VOA em 8660 kHz em paralelo com os 35 kW da estação de ondas curtas WNBI da NBC em Bound Brook, também em Nova Jersey.

A programação em outros idiomas foi captada em Espanhol sob o indicativo WOK em 10555 kHz, e em Francês como WOO4 em 8760 kHz. Havia também uma transmissão diária de três horas de notícias em vários idiomas em 9750 kHz com o indicativo WDL.

A revista australiana Radio and Hobbies informou que as últimas transmissões conhecidas da VOA via Ocean Gate Radio ocorreram em Janeiro de 1944.  Na época eram irradiadas sob o indicativo WDI em 5052 kHz.

A WOO permaneceu em uso contínuo por vários anos mais como terminal internacional de chamadas telefônicas de muitos países e embarcações em alto mar. Na década de 1950 foram instaladas vinte e nove antenas rômbicas.

Na época em que a estação foi fechada, contava com transmissores de 10 kW e talvez um de 50 kW. Quando cabos submarinos foram instalados entre a Europa e América do Norte e as comunicações por satélite ficaram disponíveis a Ocean Gate Radio não era mais necessária.

O anúncio do encerramento das operações ocorreu em 28 de Fevereiro de 1999 e, após alguns adiamentos, foi fechada em 9 de Novembro do mesmo ano.

Na atualidade, a propriedade que abrigou a estação é um refúgio de vida selvagem de propriedade do Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos Estados Unidos e o prédio do transmissor, abandonado, decrépito e vandalizado, é de propriedade do governo municipal. Quando os mastros de madeira que suportaram as antenas rômbicas forem removidos, a propriedade voltará ao seu estado original como um refúgio pantanoso de aves migratórias. A WOO?  Se foi e foi esquecida!

Durante o período em que foi usada como retransmissor da Voz da América, até onde se sabe, nenhum QSL foi emitido. Durante seus últimos vinte e três anos de serviço como estação de comunicações, diversos QSLs foram emitidos em nome da AT&T-Bell Ocean Gate Radio, WOO.

Os cartões QSL da AT&T eram postais de tamanho grande com os logotipos da AT&T e Bell ao lado do endereço. Um deles tinha um mapa mundi com a localização de outras estações da AT&T marcadas. Eles geralmente eram enviados a partir da estação receptora em Manahawkin, Nova Jersey.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx

 





El Salvador em ondas curtas

11 06 2017

Adrian M. Peterson

Um radioamador não identificado de San Salvador, a capital da pequena nação centro americana de El Salvador, foi o primeiro a fazer experiências com rádio em ondas curtas. Ele enviou um informe de suas primeiras atividades à revista radioamadorística QST, que publicou nota na edição de Dezembro de 1922. Nela, dizia ter feito recentemente alguns testes em ondas curtas com transmissor próprio e que planejava fazer outros testes em breve.

Em 1922, a ênfase do rádio estava no uso de alta potência em ondas longas ao invés de baixa potências em ondas curtas, e na época a experimentação em tal faixa era rara. O experimentador de San Salvador identificava a si mesmo como “Sparks”, parecendo indicar que era um operador não licenciado, algo bastante comum em vários países na época.

Muitos ouvintes nos Estados Unidos e Pacífico Sul fizeram relatos frequentes na década de 1930 sobre transmissões em ondas curtas de El Salvador. Ao que parece que um novo aparato foi instalado em San Salvador por volta de 1935, aparentemente em uma estação de comunicações já existente em algum lugar da região da capital.

Menções sobre novas transmissões em ondas curtas desde El Salvador logo começaram a aparecer em revistas de rádio dos Estados Unidos e Austrália, e a primeira referência conhecida (Australasian Radio World, Agosto de 1936) listava a nova estação YSJ que fora captada na Austrália em 13410 kHz. Aparentemente o log foi de uma transmissão de comunicação, e não de um programa regular de entretenimento.

Em 1937, informes de monitoramento em revistas de rádio davam conta que um novo transmissor de 500 watt fora instalado em San Salvador e que ia ao ar em vários horários do dia com a retransmissão da programação em ondas médias da Radio Nacional (YSS – 864 kHz).  A revista australiana Listener In radio dizia que as transmissões em ondas curtas vinham de um novo rádio-país naquela faixa.

Para atender as condições de propagação, três canais e três indicativos foram empregados para a retransmissão de conteúdos de entretenimento e informação: YSD – 7894 kHz, YSH – 9520 kHz, YSM – 11710 kHz. Entretanto, um canal ia ao ar por vez, o que indicava o uso de apenas um transmissor.

Por volta da década de 1950, um novo transmissor de 1 kW foi instalado para o serviço em ondas curtas da Radio Nacional. Dez anos depois, um transmissor de 5 kW passou a ser usado para retransmissões; na década de 1980, a YSS passou a operar com 10 kW. Pouco depois desse aumento de potência o serviço governamental em ondas curtas foi encerrado.

Ao longo dos anos várias foram as emissoras que operaram em ondas curtas em paralelo com as ondas médias em El Salvador, sendo que em seu auge eram 18 na década de 1950s, todas de cunho comercial. A última emissora que transmitiu em ondas curtas em El Salvador foi a Radio Imperial, com 1,5 kW sob o indicativo YSDA há cerca de doze anos atrás.

El Salvador é geograficamente um país pequeno, e as transmissões em ondas curtas não eram realmente necessárias para assegurar cobertura nacional. Com a introdução do FM, tanto as transmissões em ondas curtas e médias passaram a ser substituídas.

Duas grandes estações clandestinas salvadorenhas permaneceram no ar por vários anos, as quais foi garantida licença, sendo que ambas permanecem no ar, embora em FM apenas. Tais estações clandestinas operaram durante o período da trágica guerra civil que assolou o país entre 1981 e 1992.

Em 10 de Janeiro de 1981, a Radio Venceremos fez sua primeira transmissão a partir de uma caverna em uma região montanhosa e isolada do país, embora existam relatos de que tenha ido ao ar anteriormente a partir de Nicarágua. A maior parte da programação da Radio Venceremos era gravada em fitas cassete e transmitida a partir de qualquer transmissor disponível.

A programação diária de uma hora começava às seis da tarde e continha notícias e informações sobre a guerra civil que não estavam disponíveis a partir de nenhum outro meio. Seu conteúdo era ouvido não apenas por ouvintes neste país devastado pelo conflito, mas também por órgãos de imprensa e políticos em outros países.

O transmissor original, identificado como Viking, com um aplificador de 700 watt, levou ao ar as transmissões da Radio Venceremos em um primeiro período. Outros equipamentos eletrônicos foram usados conforme obtidos e, mudanças frequentes eram necessárias para evitar a captura ou destruição. Quando a operação ficou mais profissional, dois transmissores foram empregados, com programação simultânea em canais próximos.

A Radio Venceremos geralmente transmitia de algum local próximo a faixa de 40 metros, e a frequência variava para evitar jamming. Houve situações em que o transmissor de jamming ia ao ar com programação própria imediatamente após a Radio Venceremos deixar de transmitir, na mesma frequência.

Na busca de conter as transmissões da Radio Venceremos, os Estados Unidos estacionou dois navios na costa caribenha da América Central. Eram dois destróieres da classe Spruance e ficaram no Golfo de Fonseca.

As transmissões dos navios “Caron” e “Diego” consistiam inteiramente de jamming. O sinal dos dois navios era ouvido na América do Norte, Europa e Pacífico Sul. Evidentemente não foram emitidas confirmações para tais transmissões.

Após a assinatura dos acordos de paz, a Radio Venceremos recebeu uma licença para operar em FM, e alguns de seus equipamentos foram restaurados e estão em um museu da cidade.

A história de de outra estação clandestina salvadorenha, a Radio Farabundo Marti, é muito semelhante à Radio Venceremos. A Radio Farabundo Marti fez sua primeira transmissão em 22 de Janeiro de 1982; e hoje também tem uma licença para operar em FM desde San Salvador. Apenas alguns poucos QSLs foram emitidos pela Venceremos e Farabundo Marti e eram cartões ou cartas informais. Em seus primeiros anos, a Radio Nacional emitiu cartões QSL para a recepção de seus sinais em ondas curtas.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx





Japanese radio station on an Australian island

3 06 2017

Adrian M. Peterson

Durante o período da Guerra no Pacífico, circularam diversos rumores de que militares japoneses desembarcaram em áreas isoladas no norte da Austrália, embora seja evidente de que houveram mais rumores e menos desembarques. Algumas histórias do período do conflito dão conta que aviões japoneses chegaram a pousar em pistas no meio da selva no norte, embora seja de conhecimento sobrevoos na costa da Tasmâniae sobre as cidades de Melbourne e Sydney.

Há um desembarque conhecido de japoneses em uma região isolada da costa oeste próxima à Ilha Browse. Um pesqueiro de 25 toneladas, o “Hiyoshi Maru” levou pessoal do exército e marinha do Timor, escoltada no início de sua jornada por um avião Mitsubishi, um bombardeiro leve tipo 99. Os nomes dos japoneses à bordo do navio foram passados pelo operador de rádio, Kazuo Ito.

Durante a tarde de 19 de Janeiro de 1944, três grupos separados do “Hiyoshi Maru” desembarcaram, foram para o extremo norte da costa oeste e filmaram a região com uma câmera de 8 mm.

É provável que Kazuo Ito não usou o transmissor enquanto estava em águas australianas, embora houvessem rumores de que espiões japoneses comunicavam informações críticas pelo rádio. O professor Hiromi Tanaka, que leciona História da Guerra na Academia Nacional de Defesa em Yokosuka, Japão, informou que espiões japoneses viviam em pequenas ilhas próximas à costa do país. As autoridades australianas não possuem registros de eventos do gênero.

Há uma história bem interessante sobre como um espião japonês usou um transmissor na Austrália durante a Guerra no Pacífico: quando ele coletava as informações desejadas, ia com um bote até uma ilha próxima e sintonizava um transmissor de baixa potência em uma frequência logo abaixo de uma emissora de ondas médias. O espião transmitia as informações em Código Morse, e o heteródino era quase impossível de ouvir no continente, exceto por um monitor astuto com bom receptor.

Essa história podia ser verdadeira e foi bastante aceita, embora possua diversas anomalias. De acordo com relatórios do governo, o ouvinte que descobriu tal transmissão vivia em Sydney e que sua origem seria uma ilha próxima a Newcastle, a uma distância de 120 km ao norte. A recepção de um sinal com potência tão baixa seria quase impossível.

O indicativo da suposta estação em Newcastle foi dado, mas na realidade pertencia a um transmissor de ondas médias localizado em Sydney.

Ele dizia que ia com um bote até uma ilha próxima a Newcastle, mas a ilha mais próxima de tal localidade ficava a 320 km ao norte.

Os proprietários da emissora de Newcastle registraram a emissora em nome de uma organização religiosa, que possui centenas delas no mundo inteiro na atualidade, mas nenhuma na Austrália naquela época. Ela foi culpada sem nenhuma ligação com tais eventos, principalmente porque estava fora do ar no período do conflito e quando o espião informou estar ativo.

Optamos por não identificar a emissora nesta histótia para proteger sua inocência. Entretanto, o nome da pessoa que descobriu tal transmissão é conhecido.

Será que esta história é realmente verdade e o informante se baseou em memórias falhas? Ou seria o caso de desinformação? Provavelmente nunca saberemos.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx





Outra estação da BBC foi fechada

27 05 2017

Adrian M. Peterson

Na última edição do Australian DX News foi informado que a BBC fechou a estação retransmissora para o leste asiático em Nakhon Sawan, no norte da Tailândia. Desde então, informações adicionais sobre o fechamento deste importante retransmissor circularam largamente na internet.

De acordo com um comunicado da BBC, o último dia de operação do retransmissor na Tailândia foi o dia 31 de dezembro do ano passado, quando encerrou o arrendamento que não foi renovado. A BBC informou que não foi possível chegar a um acordo com o governo local quanto a programação e que de qualquer forma ela seria fechada por conta de dificuldades financeiras.

Ainda que este encerramento tenha ocorrido há um tempo considerável, tal fato parece ter escapado da atenção dos radioescutas. Neste artigo será apresentado a história da estação retransmissora da BBC no extremo oriente durante o período de quase dez anos de operação em Hong Kong e futuramente será o período em território tailandês.

O planejamento da estação retransmissora em Hong Kong começou na década de 1970. Em 1981, o Diretor de Administação do Sexviço Externo da BBC, Douglas Muggeridge, expressou sua frustração com o abandono do projeto por conta de indisponibilidade de fundos.

Embora fosse do conhecimento que a estação não teria uma vida útil maior que dez anos, houve a decisão por continuar com o projeto em Hong Kong enquanto planejavam a construção de outra em um local indeterminado.

Sua localização foi uma área de floresta em Tsang Tsui, a 120 km noroeste de Hong Kong. Era uma localidade isolada sem transporte público próximo.

Um terreno bastante compacto foi escolhido para a construção do prédio do transmissor e as cinco torres auto portantes. As torres foram arranjadas em sentido leste-oeste e suportavam antenas multi banda com refletores passivos.

Cada antena podia ser ser girada eletronicamente mais ou menos 14o para cobertura do norte da China e Japão. Colinas obstruíam a irradiação no sentido sul, mas de qualquer forma a estação tinha como alvo apenas o norte.

A construção da estação retransmissora em Hong Kong começou em Fevereiro de 1985 a um custo total de $11 milhões. Dois transmissores Marconi de 250 kW, modelo B131, foram instalados e a primeira transmissão de teste ocorreu às 0400 UTC de 6 de Agosto de 1987 em 15280 kHz. A operação em tempo integral começou em 27 de Setembro.

A programação vinha via satélite de Londres à Hong Kong Telecom e via fibra ótica até a estação. A programação era transmitida em três idiomas: Chinês, Japonês e Inglês, com dois programas ao ar simultaneamente.

A estação era computadorizada e sua operação dependia de apenas doze pessoas, sendo que um deles era estrangeiro, um administrador da BBC vindo da Inglaterra. Até mesmo o cachorro que protegia o terreno era considerado um empregado da BBC, pois era alimentado com fundos da emissora.

Na cena política, foi acordado que a colônia britânica de Hong Kong seria devolvida à China em Junho de 1997. Consequentemente a BBC planejou remover, enviar todos os equipamentos usáveis  de navio e demolir o prédio antes da transferência do território aos chineses.

A última transmissão da estação retransmissora da BBC no extremo oriente ocorreu no final de Novembro de 1996. A sua localização parece ser uma área verde visível no Google Maps nas coordenadas 113 55 18 57 L e 22 25 04 02 N.

Diversos cartões QSL foram enviados por ela, geralmente postais de Hong Kong com um carimbo ao lado do texto com os dados confirmatórios. Por algum tempo, um cartão QSL mostrava uma foto do sistema irradiante em Tsang Tsui.

Dois meses depois do fechamento da estação, as torres foram derrubadas e os dois transmissores encaixotados para envio a outro destino, a estação da BBC na Tailândia, que agora também deixou de transmitir. A sua história será retratada em outro artigo em breve.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Você já conhece o canal Regional DX no Youtube? Vídeos novos publicados nos dias pares do mês. Não deixe de se inscrever, curtir os vídeos, comentar e compartilhar o conteúdo. Visite em youtube.com/regionaldx