O mistério do navio desaparecido

25 02 2017

Adrian M. Peterson

No mês de Março de 1938, um famoso navio desapareceu para nunca mais ser visto ou ouvido novamente. Ele estava navegando nos mares do sul e era equipado com equipamentos de rádio moderno. Esta será a história do artigo de hoje.

Em 1908, um navio foi construído em Bremerhaven, na Alemanha, sendo ele um dos últimos à vela sem redução fabricados. Ele foi projetado como uma embarcação de treinamento que que serviria o mundo inteiro em nome da organização Marítima Belga.

Ele possuía quatro mastros, um elegante casco de metal e foi batizado como L’Avenir. Entrou em serviço em 1911 e equipamentos da Marconi foram instalados. O indicativo Morse dele era MAZ. O L’Avenir teve a honra de ser o primeiro navio mercante a contar com equipamentos de rádio.

Em 1932 o navio foi vendido a Gustaf Erikson, da Finlândia; em 1937 foi vendido à companhia alemã Norddeutscher Lloyd. O L’Avenir foi rebatizado como Almirante Karpfanger, em homenagem ao Almirante Berend Karpfanger, um heroi alemão conhecido por ter lutado contra piratas no início do século XVII.

A partir de então o Almirante Karpfanger serviu como navio cargueiro de treinamento. Durante o verão (no Hemisfério Sul) de 1938, ele passou pelo Golfo Spencer, no sul da Austrália e atracou no Porto Germein.

O cais, instalado em uma região rural, era o maior do Hemisfério Sul e estendia-se em direção ao golfo por mais de 1,5 km. Bancos de lama tornavam o acesso difícil.

No porto Germein, o Almirante Karpfanger recebeu uma carga de trigo ensacado em um total de 3500 toneladas. O navio foi carregado ao máximo, restando apenas cinco polegadas para o seu limite legal.

Houve outro problema, pois o gerador de energia do rádio apresentou defeito. Presume-se que ele carregava as baterias do equipamento.

O navio seguiu para o leste, passou pela Nova Zelândia e seguiu pelo Oceano Pacífico em direção à América do Sul. No dia 1 de Março de 1938 ele manteve contato com a Awarua Radio (ZLB) e informou que estava tudo bem.

Três dias depois, outra mensagem via rádio foi enviada, desta vez à estação marítima alemã Norddeich Radio (DAN). O mesmo ocorreu cinco e seis dias depois.

Em 12 de Março, o operador de rádio do Almirante Karpfanger entrou em contato com a Norddeich Radio novamente, e informou que estava tudo bem. A posição do navio foi informada e seu curso estava em bom ritmo para um navio à vela. Esta foi a última mensagem enviada por ele.

Não foram enviadas mais mensagens e nem o navio ancorou em qualquer porto. Então, o que houve? O fato é que o rádio ainda estava funcionando e ao que parece o que aconteceu foi uma rápida e inesperada sequência de eventos.

Marinheiros familiares com as águas na região do Cabo Horn sugeriram que o navio colidiu com um iceberg e afundou. Outros sugeriram que ele colidiu contra um recife de corais ainda não existente nas cartas náuticas.

Durante algum tempo, destroços dele foram encontrados nos litorais da região, sendo alguns identificados positivamente como pertencentes ao Almirante Karpfanger. Isso sugere que ele de fato afundou próximo à Ilha Navarin, no extremo sul da América do Sul.

Uma investigação concluiu que o navio provavelmente foi golpeado por uma forte onda que o virou, provocando o naufrágio. Esse trágico evento causou a morte de 60 pessoas.

Artigo traduzido mediante autorização do autor. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: