A cena radiofônica no Hawaii – parte 2

10 10 2015

Adrian M. Peterson

Neste segundo artigo será dada ênfase à ilha havaiana de Molokai e aos eventos históricos relacionados com a única emissora de ondas médias construída na ilha.

Em 1953, uma organização cristã protestante instalou uma emissora de FM em Kaimuki, subúrbio de Honolulu, logo atrás do famoso e extinto vulcão Diamond Head. Ela transmitia apenas em FM, em 95,5 MHz com 5,6 kW e sob o indicativo KAIM. Ela também foi a primeira estação de FM no Havaí e o indicativo KAIM é uma referência às primeiras quatro letras da localidade de Kaimuki.

Cerca de três anos depois, outra emissora foi inaugurada na mesma localidade em 31 de Agosto de 1956 com 1 kW em 870 kHz. A programação da KAIM AM/FM era diplexada junto ao sistema de antenas. Os elementos das antenas das duas estações foram montados na mesma torre. Poucos anos depois, a potência em ondas médias aumentou para 5 kW.

A Associação Evangélica Billy Graham comprou a KAIM em 1978 com o objetivo de aumentar a potência em ondas médias para maior cobertura do Pacífico, incluindo as Filipinas. Ela obteve a permissão para transferência de Honolulu para a ilha de Molokai, a 40 quilômetros de distância. A localização exata seria nas proximidades da Kaluakoi Road, perto da isolada praia Western.

Três anos depois a estação entrou em operação a partir de um transmissor Harris de 50 kW modelo MW50 na nova localidade e no mesmo canal em ondas médias, 870 kHz. Uma configuração em duas torres deu proteção a outra estação de 50 kW no mesmo canal, a distante WWL, de Nova Orleans, Estados Unidos, proporcionando cobertura nas demais ilhas do arquipélago, mas sem chegar às Filipinas.

A programação era preparada nos estúdios da KAIM que permaneceram em seu prédio original e transferida por um link em 950 MHz em Kaimuki e depois por outro link na mesma faixa para o transmissor. O sistema era bastante confiável e tinha excelente qualidade de áudio.

Infelizmente a eletricidade era muito cara, com um custo de 150 mil dólares por ano para manter o transmissor de ondas médias da KAIM no ar. Além disso, haviam várias quedas de energia que tornavam necessário o uso de um gerador auxiliar.

Por questões econômicas a KAIM passou a usar apenas o próprio gerador, mas quando ele sobreaqueceu e queimou os proprietários decidiram levar a emissora para um local mais econômico, próximo a Honolulu.

Por conta dos custos envolvidos, dificuldade de manter um transmissor em um local isolado e o fato de que a performance era inadequada para o que os proprietários desejavam, a estação foi vendida para a Salem Communications em 1999. Dois anos depois a Salem Communications fechou a estação de ondas médias em Molokai e em 1 de Dezembro de 2001 e inaugurou outro com menor potência em Honolulu.

Seis anos depois, duas torres que não eram mais usadas em Molokai foram destruídas por um incêndio florestal que consumiu uma área de 120 acres, mas sem maiores danos.

A Billy Graham Evangelistic Association tinha planos de construir uma estação de ondas curtas no Havaí. A intenção era complementar a cobertura da estação de ondas médias. Infelizmente o projeto nunca foi concretizado.

A HCJB também demonstrou interesse em instalar uma estação de ondas curtas no Havaí, provavelmente em conjunto com a KAIM. Tal plano nunca saiu do papel.

Mesmo assim, no passado (por quase 20 anos), o Havaí contou com uma estação de ondas curtas. No início da década de 1990 a Globe Wireless estava expandindo sua rede para comunicações marítimas no mundo todo. Ela adquiriu diversas estações de ondas curtas que já estavam operando em locais de interesse e construiu mais algumas. Eles precisavam de uma para cobertura do Pacífico central e não havia estação de ondas curtas disponível para este propósito, o que levou a empresa a construí-la.

A empresa escolheu uma localidade no noroeste da Molokai para construir a estação transmissora e a alguns quilômetros a receptora. O escritório ficava em Honolulu. A estação transmissora ficava próxima a Kahalelani, a 195 metros de altitude.

Cinco transmissores de ondas curtas foram instalados para comunicações em modo SITOR, cada um com 2 kW, fabricados pela Henry. Eles contavam com cinco antenas verticais de 1/4 de onda. A estação receptora contava com um conjunto de receptores TCI 8074 conectados a uma antena omnidirecional cônica.

A estação marítima adotou o indicativo KEJ e encerrou as atividades quando a Global Radio foi vendida à Inmarsat, que implementou um sistema de comunicações unicamente via satélite.

E obviamente há uma estação de FM na ilha de Molokai. Em novembro de 2004, a estação obteve o direito de construir uma estação na ilha e pagou as taxas da FCC no valor de US$ 500 mil.

A estação KMKK foi inaugurada em 2006 com 1,9 kW em 102,3 MHz e estúdios em Kaunakakai, com o transmissor nas proximidades. Em sua identificação dizia ser a “primeira” emissora de Molokai. Desde então foi vendida algumas vezes, mas ainda está no ar.

Quanto a confirmações, sabe-se que a KAIM emitiu algumas cartas QSL assim como alguns cartões preparados. E a KEJ também confirmava com um colorido QSL para confirmar a recepção da estação de ondas curtas de Molokai.

Artigo traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: