Na terra da mil colinas: A radiodifusão em Ruanda

27 06 2015

Adrian M. Peterson

Neste artigo voltaremos a abordar a cena radiofônica na pequena nação africana de Ruanda. A última transmissão da Deutsche Welle Kigali foi captada há alguns meses por diversos ouvintes no mundo todo e esta emblemática estação de ondas curtas deixou de existir. Ao mesmo tempo deixou de transmitir a emissora nacional, Rádio Ruanda.

A primeira estação de radiodifusão a cobrir Ruanda não ficava no país, e sim no vizinho Burundi, que na época estava vinculado politicamente a Ruanda. Em 1960, a Rádio Usumbura, na capital Usumbura foi inaugurada com 10 kW em 6195 kHz.

Nos preparativos para a independência de Ruanda, um serviço de radiodifusão foi oficialmente organizado em 19 de Maio de 1961. Seu transmissor provavelmente ficava na estação de comunicações do governo em Kigali em 1930. A primeira referência conhecida desta nova estação foi encontrada na revista australiana “Radio & Hobbies” de janeiro de 1962 em uma nota do neozelandês Arthur Cushen. Ele usou outra fonte como base, provavelmente dos Estados Unidos ou Suécia.

A programação desta nova estação de ondas curtas era em Francês e idiomas locais. Talvez parte ou mesmo toda a programação era retransmitida também em ondas curtas por meio da emissora de Usumbura, no Burundi.

Em 1962, o governo da Bélgica garantiu a independência de Ruanda-Burundi, e Ruanda tornou-se uma nação separada e independente. Nesta época a Alemanha já tinha começado a trabalhar na instalação de uma estação retransmissora para a Deutsche Welle próxima a Kinyinya, ao norte da agora capital do país, Kigali. A transmissão inaugural desta nova estação de ondas curtas ocorreu em 30 de Agosto de 1963, com o uso de um transmissor temporário de 600 W em 7225 kHz (diurno) e 7295 kHz (noturno).

Na mesma época um transmissor de 5 kW foi instalado no mesmo centro transmissor e levou ao ar a programação da Rádio Nacional de Ruanda em 6050 kHz. No ano seguinte um transmissor Philips de 50 kW modelo 8FZ514/01 passou a operar em 6055 kHz.

A programação era produzida localmente em um estúdio na capital, mas também continha boletins de notícia da vizinha Rádio Burundi.

O transmissor de 5 kW foi reativado em 1976, desta vez na frequência de ondas tropicais de 3330 kHz. Ao longo dos anos um transmissor croata da RIZ com 20 kW modelo OR20K1 foi instalado (1984) seguido por um ABB com 100 kW modelo SK51F3-2P (1992), aparentemente operando a meia potência. Na última década, a Rádio Ruanda foi captada geralmente em apenas uma frequência, os conhecidos 6055 kHz.

A Rádio Ruanda nunca foi ao ar em ondas médias, embora tenha sido planejada a instalação de dois transmissores na década de 1980: 100 kW em 1512 kHz para Kigali e 50 kW em 1530 kHz para Gitirama. Entretanto, a emissora desenvolveu uma rede de emissoras em FM já na década de 1970 e abandonou os planos de cobertura do país por ondas médias.

Durante o período do infeliz genocídio em Ruanda, a estação de ondas curtas da Deutsche Welle/Rádio Ruanda foi protegida por um muro de três quilômetros com hastes de metal em volta da emissora e a via de acesso tinha barricadas e minas. Em 13 de Abril de 1994, os funcionários alemães (sete homens, três esposas e uma criança), foram resgatados por dois helicópteros belgas e levados a Nairobi, Kênia.

No período do conflito tribal, a estação retransmissora às vezes ficava fora do ar, particularmente quando havia interrupções no fornecimento de energia. Na época, a Rádio Ruanda também ia ao ar às vezes com um gerador de emergência para manter o transmissor de 20 kW no ar. A estação não sofreu danos no período.

Após mais de 40 anos de serviço, a estação retransmissora da Deutsche Welle foi fechada no último fim de semana de Março, assim como as transmissões em ondas curtas da Rádio Ruanda chegaram ao fim. A estação contava com cinco transmissores de ondas curtas, sendo quatro de 250 kW e um de 100 kW. Agora a Rádio Ruanda segue transmitindo apenas em FM.

Vários QSL de Ruanda são conhecidos. O da DW emitido em Colônia, Alemanha, mostrava um mapa da África em amarelo sobre um fundo azul, embora outros cartões dela tenham sido emitidos para confirmar o retransmissor africano, com Kigali escrito como localização.

O cartão QSL da Rádio Ruanda não possuía detalhes confirmatórios específicos. A Rádio Netherland também usou o centro transmissor de Kigali e igualmente emitiu confirmações bem como a AWR, que emitiu diversos cartões com o agora raro selo de Kigali.

A AWR construiu uma emissora FM em Kigali há dez anos. A estação está instalada no mesmo prédio que serve como sede da Igreja Adventista em Ruanda e está instalada no setor Kacyiru do distrito Gasabo em Kigali. A estação de FM foi inaugurada em 10 de Março de 2005 pode ser captada em 106,4 MHz.

A Adventist World Radio fez duas tentativas no passado de usar o retransmissor da Deutsche Welle em Kigali. A primeira ocorreu em 1975, com uma série de transmissões de teste de meia hora em Swahili e a segunda há dois anos.

Não há registros de que as duas retransmissões da AWR via Kigali tenham ido ao ar, embora as primeiras fitas tenham sido entregues à estação. Houveram atrasos inesperados na produção dos programas da AWR em Swahili.

Na terceira ocasião os programas foram ao ar por duas horas e meia diárias no período B14 que terminou no último fim de semana de Março, quando a estação foi fechada.

Artigo traduzido mediante autorização do autor. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: