Rádio embaixo d’água

22 02 2015

Adrian M. Peterson

Sabe-se que ao menos cinco emissoras de radiodifusão ou ao menos componentes delas estão no fundo do oceano em embarcações carregando esse tipo de equipamento. Quatro desses navios foram afundados por ação inimiga e um por conta de tempestades.

Em 1940, com o início da II Guerra Mundial, um novo transmissor de ondas curtas com 100 kW fabricado pela Marconi, de Chelmsford, Inglaterra, foi enviado para Cingapura. A intenção era instalá-lo em um nova estação que estava em construção próxima à Rádio Malaia em Jurong, no oeste de Cingapura. Quando ativada, serviria como retransmissor da BBC de Londres para cobertura da Ásia e Pacífico.

Entretanto, devido ao ataque de um submarino inimigo o navio foi afundado e toda a carga perdida, incluindo os equipamentos para o retransmissor da BBC. Posteriormente um transmissor RCA com 50 kW foi enviado, mas antes da ativação foi levado até Barbados, onde foi instalado pela Cable & Wireless em Bearded Hall com o indicativo VPO.

Em 1941, foram feito planos para instalação de uma potente estação de ondas médias em uma localidade subterrânea próxima a Crowborough, Inglaterra. A intenção era servir como estação clandestina com conteúdos em vários idiomas para a Europa e retransmissor da BBC para a mesma região.

Na época, um transmissor com 500 kW estava quase pronto na fábrica de RCA em Camden, Nova Jersey, quando foi comprado pela NBC para a estação WJZ de Bound Brook, Nova Jersey. A FCC impôs um limite de 50 kW para a estações de ondas médias nos Estados Unidos, então a NBC-WJZ desistiu de tal transmissor.

A China demonstrou interesse na aquisição desse transmissor, mas enquanto as negociações caminhavam, o governo britânico fechou a compra e ele foi enviado pelo Atlântico. O transmissor foi modificado para operar com 600 kW, desmontado em partes menores, empacotado e enviado em vários navios diferentes.

Um desses cargueiros, que levava as antenas e torres foi afundado no Atlântico por um submarino inimigo e a carga perdida. Rapidamente novas torres e antenas foram fabricadas nos Estados Unidos e enviadas para instalação em conjunto com o transmissor norteamericano subterrâneo conhecido como Aspidistra, em Crowborough.

Durante a segunda metade do conflito na Europa, a Press Wireless International fabricou e enviou pelo Atlântico diversos transmissores de variadas potências para uso em ilhas e no Velho Continente. Alguns desses carregamentos continham seus famosos transmissores de 40 kW para ondas curtas e outros continham estações móveis completas. As estações móveis geralmente consistiam de um transmissor com 400 W para transmissão em Código Morse de alta velocidade ou fonia.

Muitos dos equipamentos foram produzidos em sua nova fábrica, próxima à estação de Hicksville, em Long Island, Nova Iorque para posterior envio. A PWI admitiu que ao menos uma de suas estações móveis foi afundada por submarinos inimigos em 1944, jamais sendo recuperada.

Também em 1944, Lord Louis Mountbatten encomendou a construção de uma grande estação de ondas curtas em Ekala, a 20 km de Colombo, no Sri Lnaka. Um grande carregamento de equipamentos, incluindo itens da Marconi e sistemas de antena redundantes da Ilha de Wight foram enviados da Inglaterra.

O carregamento inteiro foi perdido devido à ação de submarinos inimigos no Oceano Índico. Um novo carregamento foi enviado e instalado na estação da SEAC em Ekala, onde foi usado durante vários anos para retransmissão da programação da BBC, Voz da América e Rádio Mundial Adventista. A estação também serviu à SLBC, Sri Lanka Broadcasting Corporation.

Em 1965, Ronan O’Rahilly adquiriu um transmissor de ondas médias de 50 kW da Continental Electronics, de Dallas, Texas para instalação no navio Mi Amigo, que levou ao ar a famosa estação pirata Rádio Caroline. Durante aquela época a Continental construiu diversos transmissores de ondas médias de 50 kW, modelo 317C, para diversos clientes.

Por conta da necessidade da BBC de um transmissor de 50 kW para a faixa de ondas médias para a estação retransmissora de Francistown, Botswana, o empresário O’Rahilly aceitou que o 12º transmissor, que tinha sido adquirido por ele, fosse cedido à BBC. A BBC também adquiriu outra unidade, a 13º, sob aceitação de O’Rahilly para ficar com o 14º, para instalação à bordo do Mi Amigo.

Em 19 de Março de 1980 o Mi Amigo enfrentou uma tempestade de escala 10 que o arrastou por 10 milhas náuticas até encalhar no banco de Long Sand. Ele afundou no dia seguinte e descansa nas profundezas do estuário do Tâmisa.

O transmissor também afundou com o navio e lá permanece, no Mar do Norte.

Artigo traduzido mediante autorização do autor. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: