História da Rádio Escócia

3 01 2015

Adrian M. Peterson

A história da Rádio Escócia data o ano de 1904. Foi o ano em que o estaleiro John Brown, de Clyde, Escócia construiu uma embarcação com 90 pés de comprimento e 500 toneladas, o Comet. Ele foi construído a pedido do Comissário Irlandês no Eire para trabalhos na Baía de Dublin.

Ao final de 60 anos de serviço, o Comet foi aposentado e levado ao Porto de St. Peter, na Ilha de Guernsey. Sob propriedade de Tommy Shields o navio foi adaptado para servir como uma estação de rádio móvel com estúdio, transmissores e outros equipamentos eletrônicos.

O estúdio foi construído na fábrica da RCA em Sunbury e os dois transmissores Ampliphase modelo BTA10 com 10 kW foram enviados dos Estados Unidos. A preparação da instalação foi efetuada em Guernsey. Um guindaste foi necessário para baixar o equipamento para o Comet.

O estúdio foi instalado no que era antes a cabine do capitão; um gerador Deutz com 30 kW foi instalado; um mastro de alumínio com 60 metros substituiu o de madeira. Um dos principais problemas para o guindaste era o movimento provocado pela maré, que varia até nove metros em um único dia.

Comet ainda não tinha propulsão e foi rebocado de Guernsey até águas escocesas pela costa leste da Inglaterra. No caminho, o cabo do guincho quebrou e isso atrasou em dois dias a viagem.

A nova localização do Comet ficava a 3½ milhas da costa da Escócia, próximo a Dunbar e aproximadamente 25 milhas de Edinburgh. A data agendada para a transmissão inicial como “Rádio Escócia” foi o último dia de Dezembro de 1965. Ela quase não conseguiu cumprí-la, começando dez minutos antes da meia noite e com potência reduzida.

A transmissão inaugural foi bem captada próximo a Edinburgh e em águas escandinavas, mas em Glasgow e no oeste da Escócia o sinal era fraco. O sinal no interior melhorou significativamente por volta de 16 de Janeiro, quando um componente dos Estados Unidos foi instalado, proporcionando potência total.

A primeira frequência de ondas médias utilizada foi 1241 kHz, depois trocada para 1259 kHz após a instalação de um componente norteamericano em 1966. Embora houvessem dois transmissores de 10 kW a bordo do Comet, normalmente apenas um ia ao ar por vez.

Em 10 de Fevereiro o Comet foi inundado durante uma tempestade. Um navio da Guarda Costeira fez o socorro com uma bomba de sucção.

Assim como várias emissoras piratas no entorno da Grã Bretanha, a Rádio Escócia enfrentou diversas dificuldades. Devido ao sinal fraco em áreas mais densamente povoadas na região de Glasgow, o navio foi rebocado à costa oeste da Escócia.

Em nova viagem pelo norte da costa da Escócia ele foi rebocado até as proximidades de Glasgow. Essa viagem demorou algumas semanas e inicialmente a emissora continuou no ar. Entretanto, devido a diversas dificuldades as transmissões foram cortadas no meio da viagem.

Ao chegar a seu destino, a Rádio Escócia voltou ao ar e uma pesquisa mostrou que quase metade da população ouvia a programação do Comet. Entretanto, devido a problemas relativos a questões legais sobre a divisa entre águas internacionais e da Escócia, a Rádio Escócia foi processada e multada por transmissões ilegais.

Então, novamente o Comet” foi rebocado, desta vez para o norte da costa da Irlanda, próximo a Ballywater. Em 9 de Abril de 1967 a emissora voltou ao ar como Rádio Escócia e Irlanda, sendo que por um curto período também identificou-se como Rádio 242.

A solução não foi financeiramente viável, então o navio foi novamente rebocado para a região de Dunbar, na costa leste da Escócia, possibilitando melhor cobertura de Edinburgh e cercanias. Isso aconteceu em maio de 1967.

Infelizmente o fim estava no horizonte, pois a arrecadação com propagandas não cobria as despesas. A transmissão final da emissora ocorreu em 14 de Agosto de 1967. Em Dunbar o navio foi colocado à venda. Como isso não aconteceu, ele foi rebocado para Methill Harbour e todos os equipamentos eletrônicos foram removidos.

Comet foi levado para a Holanda, onde foi usado por um tempo como casa. Em 1969, foi desmontado em Ouwerkerk.

Além do navio, a Rádio Escócia manteve um escritório na Cranworth Street, em Glasgow. Por algum tempo também houve um escritório de marketing em Londres.

Os ouvintes chegaram a organizar uma petição para salvar a Rádio Escócia, objetivando o licenciamento de uma emissora instalada em solo britânico. Ela recebeu dois milhões e meio de assinaturas, mas Londres recusou-se a aceitar o pedido.

Alguns anos depois, Tommy Shields foi hospitalizado com problemas nos rins dos quais não conseguiu se recuperar. Ele faleceu aos 49 anos sem conseguir realizar seu sonho.

Artigo traduzido mediante autorização do autor. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: