O rádio em Martinica

17 05 2014

Stig Hartvig Nielsen

O idioma é o Francês, a cozinha é francesa, a música é francesa, a cultura, arquitetura, comportamento (beijos na bochecha o tempo todo!) e tradições também. Então, se não fosse o calor (acima dos 30ºC), os coqueiros, um pouco da cultura Crioula aqui e ali, a maravilhosa floresta tropical e alguns mosquitos da dengue, você poderia pensar que está na França. Particularmente acho que a Martinica não é tão caribenha assim.

O voo de Paris à capital do país, Fort-de-France, é considerado doméstico, ainda que dure 8 horas. O país faz parte da União Europeia, então não há maiores formalidades para esta viagem. Há uma grande diferença se você for a Santa Lúcia (a 20 minutos de voo da Martinica), onde você precisará mostrar seu passaporte, ter a bagagem examinada minuciosamente e passar por uma entrevista no desembarque.

A capital é uma das maiores e mais cosmopolitas cidades do Caribe Francês. Lá não há muitos turistas, pois eles preferem passar o tempo nas lindas praias da ilha. A população é de cerca de 400 mil habitantes, dos quais 80% são negros e descendentes de escravos africanos. Os idiomas usados são o Crioulo e Francês – poucos são os que falam Inglês.

Martinique1ère
Até recentemente a emissora era conhecida como “Radio Martinique” e antes, como “RFO Martinique”. O nome atual é “Martinique 1ère” (Martinique Première).

É a maior estação pública do país e transmite desde 1937, sendo a mais antiga, mas não mais a maior. Ela reúne 23% da audiência radiofônica do país. A principal competidora, a estação privada Radio Caraïbes International (RCI) reúne uma audiência bastante maior, de cerca de 43%.

A Martinique 1ère é a ‘primeira’ (leia-se: mais importante) emissora – ao menos em sua opinião. As outras cerca de 35 emissoras da ilha são apenas estações musicais que não são competidoras sérias dela, explicou o gerente da emissora, Rolland Thimon, quando visitei a emissora em julho de 2012.

Ele fala apenas Francês – mas tive sorte suficiente para encontrar duas pessoas da emissora com conhecimento básico de Inglês – as amáveis Chloé Lasserre e Amee-Sophie Valleray (foto abaixo), que ajudaram na posição de intérpretes.  Thimon reconhece que a RCI possui programas de variedades e outros conteúdos falados, mas ela é privada e tem liberdade de ação. A Martinique 1ère é mais limitada neste sentido por ser financiada pelo governo, o que a obriga a levar ao ar determinados tipos de programa.

Enquanto o serviço público de rádio em vários países vai ao ar em mais de um canal, a Martinique 1ère tem apenas um. Não há planos de crescimento.

Quando visitei a emissora quis saber se ainda utilizavam a frequência em ondas médias de 1310 kHz. Sim, mas no futuro as transmissões seriam digitalizadas, segundo Rolland Thimon. Entretanto, alguns dias depois, o sinal em 1310 kHz desapareceu e assim continuou pelo restante do mês. Por meio de um telefonema em Francês feito por um colega, o engenheiro chefe garantiu que a emissora havia voltado a operar em tal frequência. A potência passou a ser de apenas 5 kW – e não os 20 kW usados no passado.

Para o futuro os planos são de adoção do padrão DAB. A audiência do canal em FM é muito maior, então a direção da emissora aguardará os acontecimentos na Europa.

Estúdio da Martinique 1ère

Radio Caraïbes International
Reunindo 43% da audiência, a Radio Caraïbes International (RCI) é – de longe – a líder em audiência no país. A emissora foi fundada em 1962 e começou a transmitir em 1963. No passado teve afiliadas em Santa Lúcia e Dominica, mas já não existem. A de Dominica foi fechada há vários anos e a de Santa Lúcia foi comprada por um grupo local. Do grupo RCI restaram a de Martinica e outra na ilha caribenha de Guadalupe.

A empresa que mantém a RCI também é responsável pela NRJ Antilles – voltada ao público jovem e Bel Radio – voltada ao público adulto, oferecendo uma mistura de músicas caribenhas das décadas de 1970 e 1980. Todas as três emissoras possuem estúdios em um mesmo prédio localizado em uma das principais vias de acesso a Fort-de-France.

A programação da RCI consiste de uma mescla de música popular, entretenimento e entrevistas – com foco no noticiário local e atualidades. Com exceção dos comerciais, não é muito diferente da BBC 2.

O dial de FM em Fort-de-France
A lista abaixo inclui as principais frequências das emissoras mais fortes que captei em Julho de 2012 e quatro diferentes locais em e próximos a Fort-de-France.

88,1 – Radio Liberté
88,9 – FM Plus
89,3 – Radio Sud Est
90,1 – Radio Inter Tropical
90,9 – France Inter
91,6 – Radio Esperance
92,0 – Martinique 1ère
92,4 – Radio Transat
92,8 – Radio Actif
93,6 – Radio Frequence Atlantique
94,0 – Radio Bell’Age
94,5 – Martinique 1ère
94,9 – Radio APAL
95,3 – Radio Fusion FM
95,8 – France Inter
96,2 – Radio Imagine
96,7 – Radio Nostalgie Martinique
97,1 – Trace FM
97,5 – Radio Lévé Doubout Matinik
98,1 – Super Radio
98,7 – RCI
99,1 – Radio Evangile Martinique
99,5 – Radio Saint Louis
100,6 – Radio Canal Antilles e Radio France Internationale
101,6 – Chérie FM
102,0 – Ekla FM
103,4 – Radio Banlie Relax
103,0 – RCI
103,9 – Radio Liberté
104,4 – NRJ
104,8 – Radio Mouv’ Martinique
105,5 – Campus FM
105,7 – Super Radio
106,2 – Radio AS e Radio France Internationale
107,3 – Radio Maxxi
107,6 – Radio Nostalgie Martinique

Artigo traduzido mediante autorização do British DX Club. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: