Rádio Ilhas Cook

25 06 2011

Adrian M. Peterson

Uma emissora operada por um jornal local que figura entre as mais exóticas e que por consequência tem seu QSL altamente valorizado pelos Dexistas. A Rádio Ilhas Cook, com seu sinal de intervalo composto pelo som de uma trombeta de concha transmitia com apenas 500 Watts em 5045 kHz.

Muitos programas e periódicos Dexistas do mundo todo reportaram há alguns anos o fim das transmissões em ondas curtas da emissora de Raratonga. Um incêndio em Maio de 1993 destruiu o prédio em que estava o transmissor, de propriedade da Cable & Wireless. Este prédio abrigava entre muitos equipamentos eletrônicos o pequeno transmissor de ondas curtas da Rádio Ilhas Cook. Desde seu encerramento não houve nenhum movimento que indicasse seu retorno.

As Ilhas Cook situam-se no Pacífico Sul, no meio do caminho entre a Nova Zelândia e o Havaí. O arquipélago é composto por oito ilhas principais espalhadas por uma área inferior a duzentos e sessenta quilômetros. A capital é a cidade de Avarua, localizada na ilha principal de Raratonga e sua população é de cerca de trinta mil habitantes, sendo a maioria de origem Polinésia.

O Capitão Cook, em 1773 é creditado como ter sido o primeiro explorador europeu a visitar tais ilhas. Esse verdadeiro paraíso foi formado por montanhas vulcânicas de origem oceânica juntamente com recifes de coral no entorno de cada ilha. Vista pelo céu ou a partir de suas belas praias elas são um verdadeiro espetáculo da natureza. Para o Dexista, um rádio em tal lugar é tão essencial quanto uma câmera.

Durante os primórdios das transmissões sem fio na I Guerra Mundial, o indicativo da estação marítima de Raratonga era VMR. Alguns anos depois outras estações foram construídas em Aitutaki e Magala e usavam os indicativos VLF e VLG.

Na década de 1950 o indicativo VLF foi usado por um curto período pelo transmissor recondicionado de 100 kW da Rádio Austrália localizado em Shepparton. O indicativo VLF também foi usado pela estação de comunicações norteamericana em North West Cape, no oeste da Austrália. Seu indicativo norteamericano era NMC. Na atualidade o mesmo prefixo voltou a ser usado pelo transmissor da Rádio Austrália em Shepparton.

O indicativo VLG passou a ser utilizado em 1941 pelo serviço doméstico da Rádio Austrália em Lyndhurst com seu transmissor de 10 kW. Ele é usado atualmente pelo transmissor de 10 kW localizado em Brandon e leva ao ar o serviço para o Pacífico da Rádio Austrália.

A primeira estação de radiodifusão das Ilhas Cook foi um projeto não oficial levado adiante durante o período de guerra como um serviço para as tropas aliadas. Um engenheiro neozelandês modificou um beacon de auxílio à navegação aérea localizado em Raratonga em 1944 e o operou temporariamente como serviço de radiodifusão.

Em abril de 1954 um serviço de radiodifusão foi inaugurado usando um transmissor radioamadorístico durante o tempo livre do operador. A emissora foi ao ar com o nome de Rádio Raratonga, com transmissões de aulas com uma hora de duração duas vezes por semana. Elas ocorriam na frequência de 3390 kHz, em Ondas Tropicais, e eram tão populares que programas de entretenimento logo foram adicionados à grade horária, bem como a frequência de 6180 kHz. A potência média era de 100 Watts, mas em certas ocasiões era elevada para 500. O indicativo original era ZK1ZA, que na época era um indicativo radioamadorístico. Posteriormente foram adotados os indicativos ZK2-ZK6.

O transmissor original ficava na localidade de Black Rock, mas em 1961 novas instalações foram construídas perto da capital e a cerca de 5,5 km de distância da localidade original.

Os programas em Ondas Tropicais eram transmitidos geralmente em paralelo com o conteúdo da frequência de Ondas Médias. Eram constituídos por produções locais e retransmissão de conteúdo da BBC, Rádio Austrália e Rádio Nova Zelândia. Em 1976 a emissora transmitiu um programa DX especial em comemoração a um encontro Dexista ocorrido na Nova Zelândia.

Quando o transmissor de Ondas Tropicais foi destruído por um incêndio, apenas a frequência de Ondas Médias e as duas de Frequência Modulada permaneceram no ar. Os habitantes que vivem na capital podem ouvir tais canais com certa facilidade e os que vivem nas demais ilhas sintonizam a frequência de 630 kHz, que utiliza um transmissor de 5 kW. Infelizmente os ouvintes do exterior não podem mais sintonizar as Ilhas Cook. A emissora nos deixou para sempre…

Em 1989 o Ontário DX Association imprimiu 500 cartões QSL para a Rádio Ilhas Cook, usando o mesmo design original empregado pela emissora. A coleção histórica da AWR em Indianápolis possui três cartões QSL das Ilhas Cook, sendo todos da primeira geração de impressão relacionados com a emissora ZK5, que transmitia com 500 Watts em 5045 kHz.

Artigo irradiado no programa Wavescan e traduzido mediante autorização. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.


Ações

Information

2 responses

25 06 2011
João Carlos

É muito interessante esta reportagem ,realmente um cartão QSL desta emissora ,nossa seria o máximo.

27 06 2011
Ivan

João,
O QSL da emissora em questão é tido como um verdadeiro trofeu por Dexistas mundo afora. Agradeço o envio do comentário.
73
Ivan

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: