A Antena “V” Invertido

4 09 2010

Harold Sellers

A antena “V” invertido é um simples dipolo de meia onda com as extremidades em um ponto mais baixo que seu centro. O nome da antena descreve perfeitamente sua aparência.

As vantagens da “V” invertido sobre um dipolo horizontal são: necessidade de apenas um mastro vertical ao invés de dois; ocupa menor espaço; maior sensibilidade a sinais DX incidentes em ângulo baixo e comportamento omnidirecional.

Também há desvantagens: menor sensibilidade a sinais de curta e média distância; comportamento horizontal menos direcional e ganho inferior.

O ângulo do vértice da “V” invertido deve estar entre 90 e 120 graus. O ângulo escolhido dependerá do espaço disponível, altura e comprimento dos elementos. A “V” invertido é cortada para determinada faixa exatamente como um dipolo horizontal.  O melhor comprimento dependerá do ângulo do vértice e a proximidade do extremo dos elementos do solo. A não ser que você possua equipamento eletrônico específico para determinar o melhor ponto para corte da antena, o melhor método é simplesmente usar a fórmula abaixo para determinar seu comprimento.

λ/2 = 492 (F em MHz e o resultado em pés)
F

Não há redução de de 5% como no dipolo horizontal. Por conta das razões mencionadas anteriormente, a “V” invertido deve ser de 2% a 6% mais longa que o dipolo horizontal.

A melhor recepção de sinais de longa distância ocorrerá se o extremo dos elementos estiver a mais de meia onda do solo, entretanto, isso é algo que muitas vezes não será possível, fazendo com que seus extremos cheguem ao solo sem comprometer seriamente a performance da antena.

Os elementos do dipolo também servem como parte dos elementos guia da “V” invertido. Naturalmente algum tipo de material isolante deve ser usado para fixar os elementos ao solo. Uma vantagem disso é que a antena pode ser rotacionada. Se o ponto do vértice for fixado em algo como um pivô, os extremos podem ser desconectados e a antena colocada em uma nova direção.

A impedância da antena é menor que a do dipolo horizontal e diminui proporcionalmente conforme o ângulo do vértice. Geralmente o uso de cabo coaxial de 50 ohms implica em um bom casamento. Assim como para a maioria das antenas, o melhor comprimento para o cabo de descida é um múltiplo da metade do comprimento de onda da frequência desejada. Esta antena é altamente recomendada para ouvintes de ondas curtas.

A imagem abaixo detalha sua montagem e pode ser clicada para melhor visualização.

Artigo traduzido mediante autorização do Ontario DX Association. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.


Ações

Information

2 responses

31 07 2016
FABIO

Prezado seu texto está ótimo mas faz-se necessário corrigir que a V invertida é 5% mais curta e não mais longa que um dipolo.

29 09 2016
Ivan

Grato pelo comentário. Assim que o blog voltar à atividade a correção será efetuada. 73!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: