ICOM IC-R70

28 08 2010

Harold Sellers

INTRODUÇÃO
O Icom IC-R70 foi o primeiro receptor de comunicações construído pela Icom, fabricante conhecido até então por produzir apenas equipamentos para radioamadores. Esse receptor possui várias características que indicam que foi concebido tendo em mente o público radioamadorístico em primeiro plano e não o Dexista. Houve rumores sobre o lançamento dele um ano antes do que realmente aconteceu e isso despertou a atenção de muitos radioescutas e Dexistas.

Larry Magne avaliou o IC-R70 como um dos melhores receptores abaixo da faixa de preço de US$1000 (valor na época do seu lançamento), mas também um dos que possuem uso mais complicado. Alguns certamente irão discordar de tal avaliação, mas para o radioescuta médio tal opinião é bastante precisa. Entretanto, há um consenso geral de que tal receptor possui um desempenho muito próximo a dos famosos Drake R7A e JRC-NRD515. Estes equipamentos custam quase o dobro do preço do Icom. Na opinião do autor, ele será uma referência para outros receptores no futuro tanto para os radioescutas como fabricantes, que buscarão melhoramentos com um preço competitivo.

ESPECIFICAÇÕES
Cobertura de 100 kHz à 30MHz; AM, SSB, CW, RTTY e FM; dupla conversão com primeira FI de 70,4515 MHz, segunda FI de 9,0015 MHz e terceira FI para FM de 455 kHz; sensibilidade de 1 µV para 10 dB de sinal/ruído entre 100 kHz e 1,6 MHz, 0,5 µV entre 1,6 e 30 MHz; seletividade de ± 3 kHz a -6 dB, ± 9 kHz a -60 dB; super heteródino com PLL; precisão de leitura no display de 100 Hz; PBT; notch; peso de 7,4 kg; mede 303 mm x 127 mm x 319 mm.

FUNÇÕES
AGC com velocidade ajustável, noise blanker, filtro notch ajustável, PBT, três velocidades de sintonia, filtro de CW com largura ajustável, trava do knob, dois VFOs com transferência de dados, controle de tonalidade, squelch por AGC, alto falante, saída para gravação, entradas para antena de baixa/alta impedância, medidor de intensidade de sinal, pré-amplificador/atenuador de RF, dimmer, saída para alto falante externo, controle de brilho do display e memórias.

SENSIBILIDADE
A sensibilidade fica entre boa e excelente. Larry Magne comparou-o com o Drake R7A e disse que é tão bom quanto. Don Moman mediu o gradiente de sinal mínimo detectável em -140 dB (14 MHz/SSB).

SELETIVIDADE
A largura de banda em AM é de 6 kHz, mas usando o PBT pode ser reduzida a 2,7 kHz. Don Moman efetuou medições e concluiu que sua curva é muito boa em 1,4, mas que o PBT não estreita a largura de banda a menos de 4 kHz. Em situação real de uso muitos Dexistas concluíram que o IC-R70 possui seletividade muito boa e com o uso do PBT e filtro notch muita interferência de canais adjacentes pode ser eliminada. A Shortwave Horizons e a Electronic Equipment Bank (Estados Unidos) oferecem modificações em que o filtro de SSB (2,3 kHz) é usado em AM. A sintonia por ECSS é fácil e bastante eficiente usando o modo SSB.

ESTABILIDADE
Consta em suas especificações menos de 250 Hz na primeira hora e menos de 50 Hz nas horas seguintes, o que é bom para todos os modos, com exceção do RTTY, até que ocorra seu aquecimento.

SINTONIA
Este é o ponto no qual o receptor recebeu maior número de críticas. Para os iniciantes, o receptor possui muitos comandos em espaço mínimo. Dexistas com dedos grandes certamente ficarão frustrados. Vejamos algumas observações feitas por usuários:

– Os botões Up-Down MHz devem ser apertados para cada MHz que você queira avançar ou retroceder e o receptor pára em pontos relacionados com as faixas de radioamadores. (Magne)

– Em SSB o receptor é ajustado automaticamente para modo USB acima de 10 MHz e para LSB quando está abaixo de tal frequência (uma função voltada aos radioamadores). Para fazer o contrário você deve apertar um botão de “exceção” antes de acionar o SSB e efetuar manualmente um offset de sintonia de 3 kHz. Isso não será armazenado na memória.

– Uma função nova é a presença de duplo VFO que permite ao operador armazenar uma frequência enquanto faz a busca de outra. Sintonize algo no VFO “A” e ele será memorizado. Vá para o VFO “B” e continue a sintonia. Volte para o “A” e o “B” será memorizado. (Brookwell)

– Os passos de sintonia são: 1 kHz, 100 Hz e 10 Hz. Trabalhando no passo de 1 kHz, uma rotação do knob corresponderá a um avanço de 10 kHz. Na posição de 100 Hz, uma rotação corresponderá a um avanço de 1 kHz. (Padula/Bunn)

– Chegando ao final de uma faixa o display não avança de forma crescente, voltando ao final oposto da faixa sintonizada. Exemplo: ao sintonizar dos 5030 até 4930 kHz usando o knob de sintonia, após chegar nos 5000 kHz ele irá para os 5995 kHz ao invés de 4995 kHz. Para resolver isso o uso dos botões Up/Down MHz é necessário.

MISCELÂNEA
A qualidade de áudio é boa, mas o alto falante interno pode produzir apitos quando o filtro de 2,3 kHz (SSB) for usado em AM. Um alto falante externo é recomendável. A opção de desligamento do AGC é útil quando houver forte presença de estática. Use o ganho de RF para melhorar a legibilidade de um sinal. O filtro notch variável possui o dobro da profundidade quando comparada às especificações e funciona apenas em LSB (para AM o WRTH de 1983 apresenta uma solução). A presença de pés laterais e possibilidade de alimentação por corrente contínua permite o uso semiportátil. Brookwell ressalta a boa blindagem contra ruído da iluminação fluorescente. O noise blanker é bastante eficiente contra a interferência de radares além do horizonte. A trava de sintonia é interessante para prevenir trocas acidentais de frequência durante uma escuta ou quando estiver gravando algo. O S-meter é preciso e de fácil leitura. O modo FM terá uso limitado a não ser que a Icom tenha a intenção de produzir um conversor como o Yaesu FRV-7700 (que pode ser usado). O squelch torna a escuta mais agradável quando da sintonia de transmissões utilitárias.

CONCLUSÃO

O Icom IC-R70 oferece a maior parte das funções que um Dexista sério deseja. Ele pode ser complicado de usar para alguns, enquanto para outros, não. Provavelmente seja um equipamento não indicado para principiantes. É recomendável teste do equipamento antes de optar pela sua aquisição. Apesar dos problemas relacionados com a sua operação, acredito que seja algo com o qual o proprietário do equipamento possa se acostumar.

Referências: SWL Digest (Larry Magne), 18 de dezembro de 1982; CIDX (Don Moman; ARDXC (Bob Padula e Peter Bunn), dezembro de 1982; DX South Florida (Bob Wilkner), janeiro de 1983; International DXer’s Club of San Diego (L. Brookwell).

Artigo traduzido mediante autorização do Ontario DX Association. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: