Confirmando emissoras utilitárias

1 08 2010

Martin C. Barry

Se você for um novato na caça de QSLs de emissoras utilitárias, este artigo certamente será do seu interesse. Porém, tenho que admitir que não sou nenhum ávido caçador de confirmações. Eu tenho apenas algumas confirmações – aquelas de emissoras fáceis como WWV, CHU ou Commsta Portsmouth. Mas francamente nunca tive a paciência, determinação ou disposição para enfrentar as dificuldades e gastos de envio de informes de recepção para estações que não garantem o retorno do desejado QSL. Assim sendo, o ato de reportar emissoras tornou-se um exercício de aprendizagem para mim e deve ser para quem quiser obter melhores resultados em suas caçadas.

Então, o que faz com que um Dexista envie à estações distantes aqueles informes de recepção detalhados com IRCs (International Reply Coupons), selos locais para custeio de resposta ou o que mais for necessário para assegurar o retorno do seu informe?

“Faço isso pela emoção de receber cartas e confirmações de captações que podem não ocorrer novamente”, diz o editor da coluna dedicada a transmissões aéreas, Tony Orr. “Atualmente tenho enviado informes para empresas de aviação civil pela adrenalina de saber que um membro da empresa gastou o tempo em seu movimentado dia a dia para me responder, e que provavelmente ao fazer isso até coçou a cabeça imaginando por qual razão eu fico ouvindo suas transmissões e para ver de quantos tipos de aeronaves ou registros eu consigo obter confirmações.” Também diz que tem utilizado cartões pré-preparados para usar como QSLs além de algo para custeio postal (geralmente US$1, mas às vezes também IRCs ou selos). Ele também usa um modelo de informe em que apenas preenche dados adicionais, tornando assim mais rápida a tarefa de reportar as transmissões.

James Hay, que normalmente escreve para a coluna High Seas da revista Monitoring Times, diz que o principal problema que ele tem tido para obter confirmações ao longo dos anos é determinar qual a pessoa certa em uma organização para a qual um informe de recepção deve ser enviado. Ele disse que com frequência cada vez maior a estações presentes em navios não são mais administradas pelo proprietário e sim por alguma empresa terceirizada. Se você não souber disso na hora de enviar um informe, certamente nunca conseguirá retorno.

Geralmente as emissoras comerciais são mais difíceis de obter retorno que as estatais. Transmissões contendo informação de tráfego também são ruins para obter confirmações (seu conteúdo nunca deve ser inserido nos informes), mas transmissões gerais (como informação do tempo em alto mar) costumam ajudar a obter o QSL. Caso haja algum indício de que há radioamadores entre os operadores da estação a situação melhora ainda mais, pois geralmente eles tem simpatia pelos Dexistas. Uma lista de emissoras utilitárias como o Klingenfuss ou mesmo Lloyd’s Maritime Directory é indispensável para obter estes endereços. Entretanto, a última publicação pode ser proibitivamente cara, estando na faixa de US$300 e, neste caso, o Klingenfuss é recomendável por ter um preço mais razoável. Lembre-se que, diferentemente das emissoras de radiodifusão, uma emissora utilitária talvez não saiba o que é um QSL. Suas transmissões não são dirigidas ao público em geral e a emissora não possui nenhuma obrigação de responder.

Hay tem como costume confirmar em sua maioria, transmissões de navios. Ele diz que navios de passageiros e cargueiros são ótimos pagadores de QSL, enquanto os que transportam combustíveis e os de procedência israelense estão nos últimos lugares (“Nem perca seu tempo…” – ele diz que os israelenses nunca confirmam). Quanto aos que transportam combustíveis, ele acredita que seus donos não gostam de revelar sua rota por razões estratégicas ou levando em conta a natureza volátil da carga.

Não esqueça que nós já não estamos na era de confirmações obtidas apenas por correio convencional. Estamos na era do fax e do e-mail. Muitas emissoras de radiodifusão em ondas curtas estão começando a usar este método tanto para recebimento de informes como envio de confirmações. Sempre que possível você também pode enviar um fax para certas emissoras utilitárias. Alguns Dexistas tem usado este método paras envio de follow-ups para emissoras que insistem em não confirmar obtendo bons resultados. As estações podem dar mais atenção a um fax que uma carta convencional.

Artigo traduzido mediante autorização do Worldwide Utility News Club. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.


Ações

Information

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: