Rádio Continental

27 05 2015

Mesmo permanecendo ativa até hoje, a Rádio Continental foi uma emissora sobre a qual praticamente não encontrei informações. Sempre operou apenas em ondas médias e é uma entre tantas estações pernambucanas já captadas na Suécia.





Rádio Mundial

25 05 2015

Fácil de ser captada por aqui em ondas tropicais e FM, consegui a escuta de uma terceira frequência dessa emissora: a faixa de ondas médias.

Com tantas frequências à disposição, certamente sua cobertura é bastante grande. Apenas nunca consegui confirmá-la.

Santa Isabel/SP dista 200 km de Guareí, local em que foi efetuada a escuta da Rádio Mundial na frequência de 660 kHz conforme áudio abaixo:





Batalha de receptores “ultralight” 2015 – Parte 2

23 05 2015

Gary DeBock

C. Crane Skywave

Como a Tecsun não mostrou interesse em corrigir as particularidades do circuito digital em ondas médias do PL-310, PL-380 e modelos relacionados, a excelente notícia é que outro fabricante tem prestado bastante atenção aos desejos dos Dexistas — criando um modelo que teve bastante sucesso na sua correção de tais problemas. O C.Crane Skywave parece ter sido projetado para os Dexistas sérios de ondas médias — com a solução dos heteródinos gerados internamente, sem soft mute e com melhor áudio ao usar o filtro DSP de 1 kHz. Ele também oferece cobertura da faixa de FM, excelente sensibilidade na faixa meteorológica e faixa aérea. O Skywave parece ser um projeto próprio da C. Crane, e o valor de US$89,95 (sem envio) certamente reflete os altos custos de projeto e desenvolvimento para criação deste equipamento inovador.

A aparência do C.Crane Skywave é semelhante a do Digitech AR-1733, mas não se engane com este fato. O Skywave é um redesenho total do modelo anterior — que a C. Crane aparentemente usou como base para chegar ao projeto do novo equipamento. Ele possui placas personalizadas (projetadas pela C. Crane e montadas pelo seu parceiro na China, a Redsun), dois chips DSP, qualidade de construção robusta e resistente à intempéries. O modelo inclui cobertura das faixas de AM (520-1710 kHz), FM (76-108 MHz), OC (2,3-26,1 MHz), aérea (118-137 MHz) e sete frequências da faixa meteorológica (com função de alerta selecionável em intervalos de 4, 8 ou 16 horas). O rádio vem com manual, capa protetora, certificado de garantia (um ano) e fones de ouvido CC Bud. O C. Crane Skywave pode ser adquirido na Amazon ou diretamente na C. Crane.

Embora o Skywave possua diversos melhoramentos em comparação com o PL-310 e outros rádios DSP da Tecsun DSP a C. Crane não tentou disponibilizar as múltiplas funções de busca e opções de display oferecidas pelo PL-310 e unidades relacionadas — e o usuário descobrirá rapidamente que a simplicidade e disponibilidade de funções básicas estão na ordem do dia. Há apenas um modo de busca digital (ATS), não existe iluminação selecionável do display (embora ao pressionar qualquer dos controles haverá uma iluminação temporária por cerca de 12 segundos), não há informação do nível de volume no display, apenas 100 memórias (algo que não é citado no manual) e uma barra bem simples de intensidade do sinal.

Naturalmente nenhuma dessas limitações importarão muito para os Dexistas de Ondas Médias (especialmente os entusiastas de do DX em frequências adjacentes) que que aguardaram vários anos para o fabricante corrigir os problemas existentes em circuitos digitais de receptores como os modelos ultralight da Tecsun. Tanto o Skywave como o competidor Eton Traveler III (abordado na sequência) criaram novos padrões para o Dexismo de Ondas Médias para os hobbyistas que desejam boa sensibilidade, inexistência de “soft mute” e completa liberdade de heteródinos.

C. Crane Skywave — Teste em ondas médias
O público alvo deste modelo da C. Crane inclui os Dexistas de ondas médias amantes de captações transoceânicas e domésticas que gostam da seletividade do Tecsun PL-310 (e PL-380) mas odeiam os problemas do circuito digital de tais modelos — e, se você estiver nesta categoria, este é o rádio! A excelente sensibilidade do Skywave é aumentada por conta da completa ausência de heteródinos e “soft mute,” com seletividade de 1 kHz tão eficiente quanto dos rádios da Tecsun — e com áudio melhor.

A busca de estações distantes em ondas médias com o Skywave e PL-310ET lado a lado imediatamente revela uma diferença significativa na performance, grande o suficiente para convencer os Dexistas desta faixa que o PL-310ET foi claramente superado. Quando ambos modelos são usados com filtro de 1 kHz (que também proporciona máxima sensibilidade em ambos modelos) o PL-310ET esbarrou em seu áudio abafado, heteródinos e a bizarra tendência a silenciar o áudio quando o sinal fica muito fraco (algo particularmente irritante para os Dexistas dedicados). O Skywave foi superior ao corrigir estes problemas, mas como mencionado antes, a ênfase na simplicidade deixou-o sem várias das funções de display do PL-310ET (indicador de intensidade do sinal, sinal/ruído, temperatura em F ou C, nível de volume e iluminação selecionável), funções de busca e capacidade de memória.

O amplificador de áudio do Skywave tem potência um pouco mais baixa que o dos modelos concorrentes. Em combinação com a falta de qualquer informação de nível de volume no display, prepare-se para ir algumas vezes até o fim do controle de volume analógico.

Há que se mencionar que o C. Crane Skywave não foi o único receptor ultralight lançado com correções dos problemas existentes no chip DSP dos modelos da Tecsun — o novo Eton Traveler III também passou por tal processo e o fez de forma eficiente por um preço menor que o do Skywave. Para os Dexistas de ondas médias interessados em ambos modelos, o fator decisivo provavelmente será a seletividade de 1 kHz. O Skywave possui tal facilidade, enquanto o Traveler III não. Em resumo, para os Dexistas de ondas médias buscando máxima performance em um receptor ultralight, o novo CC Skywave é muito mais rádio — apesar dos seus pontos fracos.

C. Crane Skywave — Teste em FM
Embora os melhoramentos do C. Crane tenham levado o Skywave a um nível superior ao do PL-310ET em ondas médias, ao que parece a performance em FM não teve tanta atenção. Tanto a sensibilidade como seletividade do Skywave são inferiores a do PL-310ET, fazendo com que tenha avaliação regular na captação de estações distantes. Assim como no PL-310ET é necessário orientar a antena telescópica para a melhor direção para uma boa recepção, mas mesmo os melhores esforços não foram capazes de deixá-lo no mesmo nível proporcionado pelo chip DSP Si4734 DSP do PL-310ET.

As 100 memórias apenas para FM do Tecsun já alcançam o total disponível para o Skywave, e as múltiplas funções no display do PL-310ET fazem com que o Skywave pareça um tanto rudimentar. O PL-310ET oferece cobertura de 64 a 108 MHz, enquanto no Skywave é possível a escuta segundo o padrão doméstico norteamericano (87,5-108 MHz). O amplificador de áudio superior do PL-310ET também faz diferença quando os sinais ficam realmente fracos, e seus modos de busca são superiores. Uma vez que as vantagens em ondas médias detalhadas acima são irrelevantes em FM, ele realmente perde para o PL-310ET quanto a performance para o Dexismo em FM. Entretanto, seu rendimento é bastante equivalente ao dos demais competidores deste comparativo.

C.Crane Skywave — Teste em ondas curtas
Na competição com o PL-310ET a sensibilidade em ondas curtas do Skywave também foi inferior, embora o C. Crane tenha algumas pequenas vantagens. Ele possui cobertura maior (2,3-26,1 MHz, contra 2,3-21,95 MHz do PL-310ET), e seu áudio a 1 kHz é superior ao do PL-310ET. Com o triste cenário de cada vez menos emissoras transmitindo em ondas curtas, a necessidade de melhor seletividade nesta faixa não é tão importante. Por conta disso, o PL-310ET pode ser usado na posição de 2 kHz para melhor áudio sem grandes problemas de interferência.

A sensibilidade em ondas curtas do Skywave permite a captação de quase todas as emissoras, mas com menos intensidade que com o PL-310ET. Assim como na faixa de FM, o PL-310ET possui bem mais funções no display, memórias (250 só em ondas curtas, contra o total de 100 no Skywave) e modos de busca digital — assim como um amplificador de áudio mais potente. Os Dexistas de ondas curtas mais dedicados provavelmente acharão o Skywave um tanto “básico”, apesar da maior cobertura em frequências altas. Mesmo assim, a performance em ondas curtas do Skywave está no mesmo nível do Eton Traveler III — o próximo modelo a ser avaliado neste artigo. Ambos equipamentos possuem sensibilidade aceitável para a captação de estações potentes de ondas curtas com frequências paralelas em ondas médias.

Outras faixas
O CC Skywave tem um rendimento excelente em duas outras faixas – uma das quais é única entre os receptores ultralight. A sensibilidade na faixa meteorológica é muito superior a dos modelos CC Pocket e DT-400W, tendo a mesma função de alerta e intervalos de tempo selecionáveis (4, 8 ou 16 horas) dos equipamentos citados. Nela a recepção é excelente — em grande parte por conta do chip DSP dedicado que a abrange também a faixa aérea.

Caso o leitor tenha como prioridade a recepção estável da faixa meteorológica durante emergências, este é o rádio a ser escolhido. Não apenas a antena telescópica mostrou-se superior as de fio dos equipamentos verticais, mas o chip DSP proporcionou sensibilidade em um nível muito superior.

Finalmente, um dos maiores atrativos do CC Skywave é a cobertura da faixa aérea, de 118 a 137 MHz — única entre os receptores ultralight. De acordo com informações da C. Crane, o chip DSP Si4736 é usado estritamente nas faixas aérea e meteorológica — e isso proporciona excelente sensibilidade em ambas.

Minha casa em Puyallup/WA está diretamente ao sul da rota de aproximação do Aeroporto Internacional Seattle-Tacoma — um terminal bastante movimentado e com muito tráfego. A frequência de aproximação e solicitação de pista do aeroporto é 119,9 MHz. Dependendo do volume de tráfego, hora do dia e sorte, o CC Skywave pode receber muita ou quase nenhuma comunicação nessa frequência. Tendo em vista que tratam-se de comunicações aéreas, o nível de sinal pode variar a extremamente forte a quase imperceptível, dependendo da distância do voo captado.

Segue um exemplo da recepção do Skywave na frequência de  119,9 MHz (com a comunicação de três aviões em dois minutos):

O CC Skywave possui uma função de squelch que elimina o ruído de fundo na faixa aérea enquanto não houver tráfego de voz — que é acionada ao pressionar o controle de sintonia por dois segundos e então girando-o para definir o nível. Trata-se de uma função interessante para os que desejam ouvir apenas as transmissões de voz, mas isso reduz um pouco a sensibilidade. Em geral, a cobertura da faixa aérea do Skywave é um grande bônus para os interessados em comunicações do gênero, embora estas sejam geralmente bem curtas e diretas. Não espere a emoção e drama típicos de filmes de desastres aéreos!

Eton Traveller III
Outro modelo inovador com excelente performance em ondas médias é o Traveler III — que em sua forma original é provavelmente o melhor receptor de bolso para Dexismo doméstico que existe. Embora a Eton também tenha corrigido a maior parte dos problemas do circuito digital existentes no PL-310 e outros receptores DSP da Tecsun em Ondas Médias, diferentemente do CC Skywave no Traveler III não houve tentativa de oferecer melhor seletividade. A inovação seguiu no sentido de concentrar a melhor sensibilidade em ondas médias possível e a inclusão de RDS para a faixa de FM (o primeiro ultralight com tal recurso).

Com apenas uma opção de seletividade em ondas médias (que é equivalente ao filtro de 2 kHz do CC Skywave em termos de performance), o Traveler III certamente não atrairá muita atenção dos Dexistas que gostam de captações transoceânicas em canais adjacentes, mas sua sensibilidade torna-o um excelente candidato a ocupar o seu shack – especialmente por seu estilo único.

Há apenas uma função de busca (ATS), e assim como o CC Skywave, o manual não diz quantas memórias o rádio possui (aparentemente 100, assim como o Skywave). Ele possui iluminação selecionável do display – com duração de até dez minutos.

O Traveler III inclui cobertura da faixa de ondas médias (520-1710 kHz), ondas longas (153-513 kHz), FM (87-108 MHz) e ondas curtas (2,3-26,1 MHz). O receptor é acompanhado por um manual do usuário (em cinco idiomas) e capa protetora. Ele não vem com fones de ouvido ou certificado de garantia, embora ao verificar o site do fabricante conste a informação de que o Traveler III possui garantia de um ano.

Ele pode ser adquirido por US$59.99 na Amazon.

Em geral, o Traveler III possui uma aparência e funções únicas entre os rádios de bolso atuais, com uma atraente faixa de alumínio colorido no gabinete, e a antena telescópica pode ser estendida horizontalmente da parte de trás do aparelho. No painel frontal é possível selecionar o horário mundial a partir de uma “porta” (aberta para trás), e um belo display com caracteres em laranja sobre fundo cinza escuro. Ele é o único receptor ultralight a usar quatro pilhas AA — o que certamente proporcionará muitas horas de escutas.

Talvez o ponto mais estranho seja a falta de opções de seletividade — o que coloca o rádio em desvantagem em comparação com os modelos da Tecsun e o CC Skywave. Entretanto, o Traveler III possui também diversas vantagens, especialmente para os Dexistas de ondas médias que não buscam captações DX em canais adjacentes. Tanto a sensibilidade como o controle de tonalidade são de primeira classe — e o estilo, aparência e preço razoável devem atrair uma boa audiência. O chip DSP Si4735 também proporciona os Dexistas de FM um equipamento de alta qualidade — com diversas opções de informações disponíveis via RDS.

Eton Traveler III — Teste em ondas médias
O público alvo do Traveler III inclui os Dexistas de ondas médias que priorizam excelente sensibilidade e qualidade de áudio. O rádio proporciona uma incrível combinação de ambas qualidades — e embora existam alguns problemas inerentes ao circuito digital   a serem tolerados, em geral o Traveler III é muito prazeroso de operar.

Comecemos pelos problemas. Uma vez que não há teclado para inserção de frequência será necessário girar o knob de sintonia. O knob é capaz de avançar rapidamente dependendo da velocidade do giro, bem como operar em passos de 9 ou 10 kHz ao girar mais lentamente. O controle de volume é digital, mas ao acioná-lo você escutará um leve ruído a cada mudança de passo (não tente mudar o nível de volume durante as gravações).

Além disso, a troca de frequência provocará interrupções no áudio de até um segundo. Se você puder tolerar isso verá que o rádio tem muito a oferecer. A sensibilidade é excepcional (na lista de especificações é informado o valor menor ou igual a 1mv/m), e embora não exista controle de tonalidade, a qualidade de áudio é bem próxima da alta fidelidade. Assim como o PL-310ET ele também tem um amplificador de áudio potente, que combinado com a fidelidade ajuda muito a tornar audível emissoras fracas (por mais que elevar muito o volume revele ruído digital como mencionado anteriormente).

O Traveler III possui excelentes nulos para um rádio de bolso — foi o primeiro a participar deste teste capaz de anular as emissoras semi locais em 570 e 710 kHz e estações emissoras fracas na mesma frequência.

Então, até  que ponto a única opção de seletividade limita a habilidade do Traveler III captar emissoras fracas próximas a estações locais? Para os Dexistas domésticos (e para os que gostam de captações transoceânicas e vivem próximos a regiões litorâneas desertas como Carbonear/Newfoundland) provavelmente não muito. Como mencionado, a única opção de seletividade proporciona filtragem equivalente a de 2 KHz do CC Skywave, que em combinação com a excepcional capacidade de nulos proporciona a possibilidade de boas escutas próximas a qualquer estação doméstica (consulte as gravações da seção de comparação de seletividade para maiores detalhes).

Para a maior parte dos Dexistas transoceânicos que rotineiramente buscam escutas em canais múltiplos de 9 kHz próximos a estações domésticas, a única opção de seletividade do Traveler III provavelmente será inaceitável. Na maior parte da América do Norte e Europa há muito espalhamento de estações domésticas em todas a faixa para que captações DX transoceânicas possam ocorrer sem um filtro de 1 kHz eficiente — como do CC Skywave ou Tecsun PL-310ET (e PL-380). Mesmo com filtragem de 1 kHz, traços de espalhamento ainda aparecem na maior parte das minhas gravações. Na difícil missão de praticar o Dexismo com um rádio de bolso, toda a vantagem é bem vinda — incluindo a melhor filtragem de 1 kHz possível. A busca de captações DX sem essa facilidade provavelmente terminará em frustração.

Eton Traveler III—Teste em FM
Primeiro, as boas notícias. Como mencionado previamente, o Traveler III é o primeiro rádio ultralight a ter RDS, graças ao chip DSP Si4735. Quando uma emissora FM transmite dados RDS e tem potência suficiente, o rádio é capaz de mostrar no display tanto “PS” (nome do programa), “PTY” (tipo de programa), “RT” (texto do programa) ou “DATA” (hora, data, programação da semana e indicativo). Ao pressionar o botão “RDS” pode-se alternar entre tais informações — assumindo que a emissora FM disponibilize tais dados. Na prática, muitas emissoras da faixa de FM não transmitem parte desses dados ou nenhum deles. Você precisa aguardar que um pequeno ícone escrito “RDS” apareça no display antes de usar essa função. De qualquer forma, boa recepção em FM é necessária para que o Traveler III mostre os dados RDS — um fator que limita a função.

Diferentemente da faixa de ondas médias, a mudança no volume não implica em ruído durante o uso de tal controle. O áudio em FM tem qualidade regular no alto falante, com ênfase nos agudos. A antena telescópica pode ser puxada horizontalmente a partir da parte de trás do gabinete, com uma dobradiça dupla que tanto pode ser conveniente como desagradável de usar, dependendo de sua preferência (vide foto acima). Minha impressão é que este tipo de antena pode não sobreviver a um dono sem muito cuidado.

Por último, com apenas 40 cm a antena é relativamente pequena  é pequena em comparação com os 48 cm do CC Skywave e os 54 cm do PL-310ET. Junto com as diferenças de chip isso é traduzido em menor sensibilidade em FM que o PL-310ET, embora o Traveler III seja um equipamento muito competitivo com comparação com os demais citados neste teste. Se um Dexista de FM usá-lo com uma antena externa eficiente o RDS do Traveler III pode passar a ser um bônus muito interessante, mas com a sensibilidade limitada, tal facilidade fica bastante comprometida.

Eton Traveler III—SW-DXing Test Drive
Assim como o CC Skywave (e diferentemente do PL-310ET) o Traveler III capta a faixa de ondas curtas até 26,1 MHz – embora assim como o Skywave, sensibilidade nesta faixa não pareça ser uma prioridade. Com antena telescópica mais curta e apenas uma opção de seletividade a performance em ondas curtas do Traveler III fica abaixo do PL-310ET, mas pode competir com o CC Skywave e a maioria dos demais receptores ultralight.

A atuação no controle de volume não implica em ruído como na faixa de ondas médias e o amplificador de áudio é potente o suficiente para escutas agradáveis. Assim como em FM, a antena telescópica curta não contribui muito para a melhora da sensibilidade, e qualquer Dexista sério certamente a trocará ou optará por um modelo diferente (como o PL-310ET, ou outro com filtragem de 1 kHz como o PL-380, PL-505 ou PL-606). Em linhas gerais o Traveler III proporciona sensibilidade aceitável em ondas curtas para verificação de frequências paralelas a de estações de ondas médias, mas tenha em mente que a performance em ondas curtas não é o ponto mais forte.

Outras faixas
O Traveler III não capta a faixa meteorológica, mas cobre as ondas longas de 153 a 513 kHz. Infelizmente (assim como o PL-310ET), a antena de ferrite é otimizada para as ondas médias — o que resulta em um espectro de ondas longas totalmente morto. Nem o Traveler III ou o PL-310ET pode captar sequer um traço dos NDBs locais em 216 ou 328 kHz (ou quaisquer outras emissoras de ondas longas) — mesmo por volta da meia noite. A menos que você tenha conhecimento técnico para substituir a antena de ferrite ou use uma antena externa eficiente, considere esta faixa como completamente inútil.

Artigo traduzido mediante autorização do autor. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.





Rádio Record

21 05 2015

Tradicional, potente e muito bem captada em praticamente qualquer lugar do Estado de São Paulo, a Rádio Record foi mais uma entre as tantas emissoras que tive a oportunidade de captar durante a última DXcamp que participei em Guareí. Seu caráter semi-local sempre fez com que a ignorasse quando o assunto é reportar a recepção, fato este que será mudado em breve.

São Paulo/SP dista 159 km de Guareí, local em que foi captada a Rádio Record na frequência de 1000 kHz conforme áudio abaixo:





Rádio Canção Nova

19 05 2015

Desde que me conheço por Dexista a Rádio Canção Nova sempre esteve presente na frequência de 4825 kHz. O QSL que compartilho aqui inclusive é exatamente igual ao que tenho em minha coleção, cujo conteúdo mais antigo pretendo começar a compartilhar em breve, afinal já são quase 22 anos de hobby!





Batalha de receptores “ultralight” 2015 – Parte 1

17 05 2015

Gary DeBock

Os mais avançados receptores de bolso lutam pela supremacia DX.

Introdução
O que começou com um grupo de ávidos usuários do Sony SRF-59 em 2007 chegou aos dias de hoje com presença mundial e forte crescimento, sendo uma das maiores forças criativas e inovadoras na comunidade Dexista de Ondas Médias. Fundada pelo saudoso John Bryant, o grupo do Yahoo “Ultralight Radio” possui mais de 1500 membros em todos os continentes – unidos pelo desafio de buscar captações exóticas com receptores de bolso avançados. Responsável pela maior parte das experiências com antenas do tipo “Ferrite Sleeve Loop” e o nascimento da prática do Dexismo transoceânico em penhascos de regiões litorâneas, o entusiasmo do grupo foi parte vital no excelente momento do Dexismo de Ondas Médias.

Equipados com inovadores chips DSP, os receptores ultralight oferecem excelente rendimento com o tamanho de rádios transistorizados que muitos de nós conhecemos na adolescência durante as décadas de 60 e 70. Grandes melhoramentos tanto na sensibilidade como seletividade em Ondas Médias tornaram esse tipo de equipamento bastante competitivo e evidentemente os fabricantes investiram pesado nesse mercado em expansão. Após os chips Si4734 DSP da Silicon Labs serem introduzidos pelas empresas Kchibo e Tecsun em 2009, a seletividade em ondas médias dos receptores de bolso aumentou dramaticamente, embora tais modelos tivessem alguns problemas como heteródinos gerados internamente. Por cerca de quatro anos os Dexistas esperaram que algum fabricante resolvesse esse tipo de problema, mantendo o tamanho e excelente seletividade. A espera terminou – tal rádio é uma excitante realidade.

Uma das maiores vantagens do Dexismo ultralight é a oportunidade de ter acesso à tecnologias inovadoras or um custo razoável — entre os cinco receptores de bolso avaliados neste artigo há alguns com chip DSP de segunda geração com capacidades espetaculares. Seja seu interesse na escuta de estações próximas a emissoras domésticas em ondas médias, FM ou ondas curtas, os fabricantes oferecem um modelo que atende suas necessidades — e você pode testar qualquer um (ou todos) por um preço muito menor que o de qualquer receptor de mesa. Então prepare-se para um artigo excitante nessa competição Dexista em três faixas!

Parte 1 – Os competidores
C. Crane “CC Pocket”

O CC Pocket é um receptor em formato vertical com estilo, ergonomia e funções bastante parecidas com o popular Sangean DT-400W (próximo receptor a ser abordado neste teste). Introduzido após o DT-400W, ele inclui algumas poucas funções especiais que a C. Crane obviamente espera que o torne a opção ao considerar a aquisição de algum desses modelos.

O receptor cobre as faixas de AM (520-1710 kHz), FM (76-108 MHz) e sete frequências da faixa meteorológica (162,4, 162,425, 162,45, 162,475, 162,5, 162,525 e 162,55 MHz). É alimentado por duas pilhas “AA” e possui um alto falante de 1.25” com saída de 500.

Assim como a maior parte dos rádios em formato vertical, ele usa o cabo do fone de ouvido como antena de FM quando os fones são conectados, embora uma antena de fio seja fornecida para proporcionar a escuta desta faixa quando o alto falante é usado. Ele possui 6,35 de largura x 10,8 de altura e x 2,3 cm de profundidade, fazendo com que caiba facilmente em qualquer bolso e pesa 100 g sem as pilhas. O emborrachamento nas laterais do rádio auxilia no manuseio e um clipe para cinto na parte traseira também pode ser usado. O rádio inclui fones de ouvido “CC Bud” e vem com um ano de garantia. Pode ser adquirido diretamente na C.Crane ou Amazon.

Conforme mencionado anteriormente, o CC Pocket vem com várias funções para torná-lo mais atrativo que o seu maior rival — the Sangean DT-400W. Entre elas estão a seleção de passo de sintonia de 1 kHz, filtros em AM de 2,5 kHz ou 4 kHz, informação de hora ou frequência no display, alarme, mais memórias (50 versus 19), auto falante mais potente (500 mw versus 70 mw), cobertura da faixa de FM mais larga (76-108 MHz versus 87,5-108 MHz), garantia mais longa (um ano versus 90 dias) e emborrachamento na lateral do rádio para melhor manuseio. No papel, a escolha parece bastante óbvia — mas até que ponto essas funções adicionais o tornam competitivo nesta batalha pela captação de sinais fracos em AM e FM?

CC Pocket — Testes em ondas médias
O primeiro passo em qualquer teste de rádio é instalar as pilhas, o que normalmente é uma operação de rotina. Não é bem isso que acontece com o CC Pocket… após tentar deslizar, puxar e apertar a tampa do compartimento com meus dedos, acabei desistindo e usei uma ferramenta. O manual do CC Pocket diz para “remover a tampa do compartimento de pilhas com a unha ou uma pequena ferramenta”. Caso você compre este rádio, prepare-se para usar uma ferramenta como uma pequena chave de fenda sempre que precisar trocar as duas pilhas AA.

Ao ligar o rádio e buscar por estações distantes durante o dia, a falta de um teclado fará com que você use os botões de avanço ou retrocesso de frequência para sintonizar as emissoras (assim como no DT-400W), porém, esse processo no CC Pocket é mais lento. Embora o CC Pocket tenha áudio mais potente que o DT-400W, ele parece mais suscetível à poluição de RF que o Sangean. Por alguma razão o DT-400W pode buscar emissoras distantes em ondas médias mesmo ao lado do meu computador enquanto o CC Pocket tende a sofrer com o ruído do computador em algumas frequências.

Ao levar o rádio ao meu quintal fiquei curioso quanto a eficiência do filtro estreito do CC Pocket na limitação do espalhamento de emissoras interferentes. Ao selecionar o passo de sintonia de 1 kHz (que o Sangean não tem) sintonizei uma estação local KSUH-1450, que espalhava até os 1438 kHz com o filtro de 4 kHz. Ao usar o filtro de 2,5 kHz (pressionando os botões de memória 1 e 3 simultaneamente) fique surpreso com a permanência do espalhamento da KSUH-1450 até os 1438 kHz. O CC Pocket proporcionou recepção levemente melhor de emissoras fracas com o filtro de 2,5 kHz, então usei esta configuração para os testes de sensibilidade e seletividade.

Minha impressão é de que o filtro estreito é mais útil para mudança no tom do áudio que para de fato limitar o espalhamento de estações adjacentes, o que requer um chip DSP avançado. Apesar disso, mesmo o filtro largo (4 kHz) soa um pouco “áspero” em comparação com o do DT-400W. Assim como no DT-400W (e no novo C. Crane Skywave), a falta da possibilidade de iluminação contínua do display faz do Dexismo à noite um pouco inconveniente, embora o acionamento de quaisquer dos controles (exceto o volume) dará cerca de 12 segundos de iluminação. O CC Pocket possui uma estranha função que desabilita o display “para melhorar a recepção em AM.” Após testar essa “função” em várias situações, estou convencido de que que a única coisa que ela faz é apagar o display.

Maiores detalhes quanto a performance em ondas médias do CC Pocket estão nas seções dedicadas à sensibilidade e seletividade. Em meu teste geral o CC Pocket mostrou-se um bom rádio, embora nenhuma das funções adicionadas tenham tornado ele superior ao DT-400W nas categorias que realmente importam — sensibilidade ou seletividade para a captação de sinais fracos em ondas médias.

A busca de estações distantes tanto com o CC Pocket como com o DT-400W levará você rapidamente a conclusão de que estes receptores verticais possuem algumas limitações — para manter as antenas de ferrite longe dos displays elas acabam ficando na parte inferior do gabinete, também com sua largura limitada. Uma possibilidade que às vezes melhora a captação de sinais fracos em ondas médias com tais rádios é usar o rádio de cabeça para baixo fazendo com que a antena de ferrite fique mais “livre” (e distante da sua mão).

CC Pocket — Testes em FM
A C. Crane nunca é tímida ao promover seus produtos e diz que o CC Pocket “é capaz de tornar audível estações fracas em FM melhor que qualquer outro rádio de bolso.” Trata-se de um apelo dramático, e para ser bondoso com a C. Crane, creio que quem quer que tenha escrito isso não testou equipamentos da Tecsun com o chip Si4734 DSP como o PL-310ET (abordado mais adiante neste artigo) com sua excelente capacidade para o Dexismo em FM. Minha casa no vale de Puyallup, Washington, é um dos piores locais possíveis para captação de FMs distantes — com altas colinas ao norte, leste e sul e uma cadeia de montanhas não muito distantes oeste. As informações do CC Pocket estavam prestes a serem colocadas à prova.

Assim como o DT-400W, o CC Pocket usa o cabo do fone de ouvido como antena de FM, embora o equipamento venha com uma antena de fio para quando o alto falante é usado. O ponto negativo deste sistema é que a recepção pode ser boa, ruim ou péssima dependendo de como o cabo é orientado com relação a emissora.

O teste em FM teve dois outros competidores — o DT-400W e o Tecsun PL-310ET. Ao conectar os fones de ouvido ”CC bud” comecei a verificar a recepção de estações distantes em FM, especialmente as emissoras de Victoria (BC) em 98,5 e 100,3 MHz. O CC Pocket captou de forma razoável a CIOC-98,5 quando o cabo do fone de ouvido era orientado de forma ideal, mas a recepção caiu rapidamente quando o cabo era colocado em outra posição. O DT-400W possui o mesmo problema para recepção em FM (com recepção levemente melhor da CIOC). O Tecsun PL-310ET superou facilmente ambos receptores quando a antena era completamente estendida e posicionada em ângulo ideal. A escuta da CKKQ-103,3 confirmou a situação anteriormente enfrentada para captação de FMs distantes e nem o CC Pocket ou DT-400W puderam competir com o PL-310ET neste quesito.

O CC Pocket pode em algumas situações competir com o DT-400W. O uso da antena de fio não fez diferença. Quanto a qualidade de áudio o Sangean foi o grande vencedor. Mesmo sem o reforço de graves sua qualidade de áudio foi superior a do CC Pocket, com relativo balanço entre frequências altas e baixas. Com ativação deste recurso o áudio estéreo em FM do Sangean ficou em um nível muito superior ao do CC Pocket. Para os Dexistas que também gostam de ouvir música em FM estéreo em seus rádios ultralight a escolha entre os modelos é incontestável.

Outras faixas
Assim como o DT-400W o CC Pocket é capaz de captar sete frequências da faixa meteorológica e uma função de alerta NOAA selecionável para intervalos de 4, 8 ou 16 horas. A recepção do CC Pocket na faixa meteorológica é similar a do DT-400W, embora não no mesmo nível de outro produto da C. Crane — o CC Skywave (abordado posteriormente).

Sangean DT-400W
O rádio amarelo brilhante da Sangean é bastante popular desde seu lançamento em 2008, permanecendo até hoje em produção por conta de seu bonito design, boa sensibilidade e excelente ergonomia. Na época de seu lançamento ficou conhecido como primeiro rádio ultralight a oferecer boa sensibilidade em toda a faixa de ondas médias — algo que os concorrentes Eton E100 e Sony SRF-T615 não proporcionavam. A inclusão do reforço de graves foi bastante interessante. Ele foi analisado em um artigo de 2008 (clique aqui para baixá-lo) onde sua sensibilidade em ondas médias foi considerada entre os melhores entre os receptores ultralight.

Os diversos melhoramentos nos chips DSP fizeram com que o apelo desses rádios de bolso verticais fossem além da beleza e outros fabricantes (assim como a C. Crane, com seu CC Pocket) tem feito o melhor ao lançar modelos competitivos.

O DT-400W capta as faixas de AM (520-1710 kHz), FM (87,5-108 MHz) e sete frequências da faixa meteorológica. É alimentado por duas pilhas AA e tem um alto falante de 1 3/8” com saída de 70 mw. O tamanho é quase o mesmo do CC Pocket — 2,5” de largura x 4,2” altura x 1,2” profundidade, pesando 107 g sem as pilhas. O rádio vem com fones de ouvido, una antena de fio para FM, clipe de cinta e garantia de 90 dias. Assim como o CC Pocket o DT-400W usa o cabo do fone de ouvido como antena de FM, mas a antena de fio pode ser conectada para recepção em FM ao usar o alto falante. Ele pode ser adquirido na Sears por US$57.67.

DT-400W — Teste em Ondas Médias
Diferente do CC Pocket, a instalação das duas pilhas AA (com os dedos) é muito fácil no Sangean, e a tampa do compartimento possui até mesmo uma dobradiça para mantê-la junto ao rádio (vide foto acima).

A sintonia deve ser feita com os botões de avanço e retrocesso de frequência, sendo mais rápido no Sangean que no CC Pocket. Ergonomicamente o rádio é bem desenhado e embora não possua emborrachamento na lateral como o CC Pocket é bastante confortável de segurar e operar. Mesmo sem o reforço de graves ativado o DT-400W possui excelente áudio e mesmo com amplificador e alto falante não tão potente a qualidade de áudio faz com que o Dexismo com este rádio seja bastante prazeroso.

O DT-400W foi considerado o melhor receptor ultralight em termos de sensibilidade quando lançado em 2008, e ainda hoje é bastante respeitado levando em consideração seu formato vertical e antena interna relativamente curta (similar a do CC Pocket). O DT-400W não possui filtro de seletividade e passo de sintonia de 1 como o C. Crane, mas tem bom boa sensibilidade e seletividade — mesmo quando o CC Pocket é operado com seletividade a 2,5 kHz.

O CC Pocket possui um amplificador de áudio e auto falante muito mais potente, mas a qualidade de áudio melhor do DT-400W’s é mais compensatória quando da busca de sinais fracos. O amarelo brilhante do Sangean tem seu charme e com todas as funções que ele possui o rádio permanece competitivo mesmo após sete anos no mercado.

DT-400W — Teste em FM
A recepção do Sangean demonstra rapidamente por que este rádio continua popular desde seu lançamento em 2008 — com o reforço de graves, o áudio em estéreo é sensacional — um dos melhores em sua classe, sem dúvida. Embora a escuta de música em FM não seja a maior prioridade entre os Dexistas de FM, trata-se de um algo a mais bastante agradável.

Como informado nos comentários anteriores sobre o CC Pocket, a sensibilidade e seletividade do DT-400W em FM é comparável ao do modelo da C.Crane, ambos com fones de ouvido ou antena de fio (para conexão ao usar o alto falante). Tanto no CC Pocket como no DT-400W a recepção em FM usando as antenas de fio varia de muito boa a quase a inexistente, dependendo da orientação dos fios com relação à emissora. Este tipo de antena de FM é barata e conveniente, mas não espere grandes captações via E-esporádica ou Tropo com este conjunto.

Durante o teste o Tecsun PL-310ET foi utilizado com sua antena telescópica totalmente estendida e quando orientada corretamente não houve dificuldade termos de sensibilidade para que ele superasse o Sangean — independente de qual estação distante fosse usada como base. Na escuta de  estações locais em FM estéreo o DT-400W virou a mesa por conta da qualidade de áudio. Mesmo com o Sangean não sendo excelente, é um equipamento muito agradável de usar.

Outras faixas
A recepção da faixa meteorológica no DT-400W é idêntica a do CC Pocket, com alertas em períodos de 4, 8 ou 16 horas (alguém da C. Crane fez uma cópia extada desta função do DT-400W). Para captar esta faixa é necessário o uso da antena de fio, que deve ser orientada propriamente para boa recepção. Os dois receptores puderam captar apenas a faixa meteorológica 2 aqui em Puyallup, com níveis de sinal idênticos. O C.Crane’s Skywave (abordado posteriormente) proporciona recepção bastante superior da faixa meteorológica.

Tecsun PL-310ET
Na época do seu lançamento, em Setembro de 2009, o Tecsun PL-310 tornou-se uma sensação entre os Dexistas — proporcionando não apenas excelente sensibilidade como seletividade, seja em ondas médias, curtas ou FM. Ele capta as faixas de OM (520-1710 kHz), OL (153-513 kHz), FM (64-108 MHz) e OC (2,3-21,95 MHz), com múltiplas funções de busca, 550 memórias, diversas opções do display, entre outras. O rádio tipicamente vem com uma capa protetora, manual de instruções, fones de ouvido, três pilhas recarregáveis AA e um cabo USB. Pode ser adquirido de diversos vendedores chineses e de Hong Kong no eBay bem como na Amazon.

No final de 2008, o inovador chip Si4734 DSP do PL-310 (também usado nos modelos PL-380, PL-606 e PL-505) proporcionou um novo nível de filtragem DSP, relação sinal/ruído e muitas outras funções avançadas — tornando possível o Dexismo transoceânico em nível ultralight. Embora o PL-310 tenha várias particularidades relacionadas com o chip DSP – como heteródinos em ondas médias gerados internamente, áudio abafado ao usar o filtro de 1 kHz DSP e uma dúbia função “soft mute” para cortar o áudio sob presença de sinais abaixo de determinado nível, os Dexistas foram bastante tolerantes com esses pontos negativos, obtendo a melhor sensibilidade e seletividade que um rádio de bolso pode oferecer em OM, OC e FM. Minha análise anterior das quatro faixas dele (clique aqui para baixar) foi de encontro ao muitos já haviam concluído, mas assim como outros Dexistas eu esperei que a Tecsun e/ou Silicon Labs corrigiria os problemas do chip Si4734 de forma a fazer o PL-310 uma verdadeira lenda Dexista de bolso.

Infelizmente, ao que parece a Tecsun tinha outras prioridades para este modelo. Voltado ao imenso mercado chinês (com pouquíssima tradição ou interesse no Dexismo), o PL-310 e demais modelos relacionados já era um grande sucesso no aspecto que mais importa à empresa — o lucro. Ao invés de trabalhar com a SiLabs para melhorar o chip DSP e corrigir seus problemas, a Tecsun foi na direção oposta, cortando custos de fabricação para aumentar os lucros.

Isso deixou os Dexistas que utilizavam os modelos PL-310 e PL-380 com ainda mais problemas — e abriu um novo mercado de receptores ultralight com correções de problemas do gênero (como o novo C. Crane Skywave e o Eton Traveler III). O PL-310ET possui os mesmos problemas do PL-310 e alguns mais, mas ainda assim com uma performance muito competitiva (para sua faixa de preço) em FM e OC — e para os Dexistas de ondas médias que não se importam em fugir dos heteródinos, em conviver com o “soft mute” e toleram o o áudio abafado com filtragem DSP de 1 kHz.

PL-310ET — Teste em Ondas Médias
Ao usar o PL-310ET em ondas médias você basicamente tem a escolha entre alta sensibilidade e e áudio relativamente abafado (filtragem DSP 1 kHz) ou sensibilidade inferior e qualidade de áudio elevada (filtragem DSP 2, 3, 4 ou 6 kHz). Infelizmente não é possível ter ambas vantagens. Com o PL-310ET é possível tanto inserir a frequência pelo teclado, knob de sintonia (com passo de sintonia entre 1 kHz e 10 kHz dependendo da velocidade do giro) ou usar um dos múltiplos modos de busca digital (Easy Tuning Mode, Auto Tuning Storage, Auto Browse, Direct Key in Memory Address, etc.). Há 100 memórias disponíveis para estações de ondas médias (mais 100 para FM e OL e 250 para OC). Nenhum outro receptor ultralight possui tais facilidades, exceto outros modelos recentes da própria Tecsun.

Conforme a foto acima, o modelo atual é um redesenho completo do modelo de 2009, e o corte de custos da Tecsun aparece em problemas relacionados à faixa de ondas médias. O chip Si4734 apresenta heteródinos em frequências como 1420, 1430 e 1440, bem como a presença de ruído ao pressionar quaisquer dos botões do painel frontal. Ao pressionar com a palma da mão o display e segurar com os dedos firmemente a parte superior do gabinete haverá um aumento na estática — mas ao fazer isso com o PL-310ET haverá outro ruído digital de nível mais baixo. O áudio com filtro de 1 kHz no PL-310 (em ambos modelos) soa abafado, devido ao corte de frequências altas feita pelo chip Si4734. Este tem sido um problema de longa data para o Dexismo transoceânico, que normalmente é gravado em MP3 durante DXpeditions.

Comparações lado a lado entre o PL-310ET, C. Crane Skywave e Eton Traveler III demonstraram que todos esses problemas podem ser corrigidos ou eliminados — sendo que nos dois últimos a questão dos heteródinos foi eliminada, com o C. Crane Skywave proporcionando melhor áudio de estações DX a 1 kHz (quando o ajuste de tonalidade “Music” é usado). Assim, os Dexistas de ondas médias não precisam mais suportar os heteródinos do Tecsun, bem como áudio abafado e outros problemas. Para os amantes do Dexismo transoceânico isso foi um grande avanço.

Os Dexistas de estações domésticas rapidamente descobrirão que o PL-310 possui alguns recursos interessantes como informação no display de intensidade do sinal, sinal/ruído, temperatura (em graus Fahrenheit ou Centígrados), hora, alarme, iluminação, entre outros. A questão básica para os Dexistas de ondas médias interessados nele é se podem ou não tolerar os heteródinos gerados internamente pelo PL-310ET, áudio relativamente abafado, soft mute  e outros problemas gerados pelo circuito digital. Caso não, a atenção deve ser voltada ao C.Crane Skywave (melhor para Dexismo transoceânico) ou o Eton Traveler III (melhor para o Dexismo doméstico). A performance desses equipamentos sob a presença de sinais fracos em ondas médias será abordada mais adiante.

PL-310ET — Teste em FM
Embora a performance em ondas médias do PL-310ET não seja mais a melhor entre os equipamentos envolvidos, a boa notícia é que em FM ele continua bom como sempre. O chip DSP Si4734 DSP tem excelente reputação quando o assunto é sensibilidade e seletividade em FM desde sua introdução em 2009, e o PL-310ET continua dominando este quesito (junto com seu irmão, o modelo PL-606, que possui antena mais longa). Os novos modelos que demonstraram força diante dele no teste em ondas médias perderam facilmente na competição em FM, sendo limitados por conta da antena mais curta, menor sensibilidade ou ambos.

Em quaisquer das estações em FM usadas para o teste o PL-310ET demonstrou facilmente sua sensibilidade em FM — contanto que sua antena telescópica fosse orientada de forma ideal. Para chegar a isso é necessário certa experimentação, mas uma vez que a antena do PL-310ET fosse orientada propriamente os competidores sempre ficaram para trás. O áudio em FM estéreo é aceitável, mas para os amantes da música ela não estará no mesmo nível do Sangean DT-400W com reforço de graves ativado.

PL-310ET — Teste em Ondas Curtas
Novamente o Tecsun demonstrou ter ainda muito a oferecer. Nenhum dos modelos competidores puderam alcançar a sensibilidade do PL-310ET com sinais fracos. Os modelos competidores pareceram novamente limitados pela antena menor, chip DSP menos sensível ou ambos. A impressão que fica é que tanto a C. Crane como a Eton incluíram as ondas curtas no Skywave e Traveler III porque isso é o esperado para os seus compradores, mas nenhum pareceu ter feito grandes esforços para melhorar a performance nessa faixa. Seus esforços certamente ficaram concentrados (com sucesso) em ondas médias — tornando o PL-310ET campeão na recepção entre os receptores ultralight em ondas curtas. As 250 memórias e múltiplas funções de busca adicionaram um apelo ainda maior ao equipamento.

Outras faixas
O PL-310ET não cobre a faixa meteorológica ou aérea, mas inclui as ondas longas, de 153 a 513 kHz. O rádio realmente não é bom para esta faixa por conta da antena de ferrite ser voltada primariamente às ondas médias. Não compre este rádio (ou o Eton Traveler III) com a esperança de fazer Dexismo em ondas longas. A título de exemplo, ele não foi capaz sequer de captar os NDBs locais em 216 e 328 kHz durante o dia ou à noite. Há uma antena voltada aos modelos ultralight, (clique aqui para baixar os detalhes) que os tornarão mais competitivos em ondas longas.

Artigo traduzido mediante autorização do autor. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.





Rádio Clube de Santos

15 05 2015

Mais uma confirmação antiga de uma emissora brasileira que nunca transmitiu em ondas tropicais ou curtas. Resultado de um informe muito bem feito (algo que vai no sentido contrário de muita coisa que vejo de certos “dexistas” brasileiros) foi uma carta com linguagem muito rebuscada e bastante detalhada.








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 166 outros seguidores