Rádio Rural Brasileira

28 11 2014

Como praticamente todas as emissoras abordadas neste projeto, há pouquíssimas informações sobre a Rádio Rural Brasileira. Pelo nome fica óbvio o vínculo com o então Serviço de Informação Agrícola do Ministério da Agricultura e assim como várias emissoras da época teve forte participação na irradiação de conteúdos voltados à educação pelo rádio. Um de seus ex-diretores, José Monteiro Salazar, inclusive foi colaborador do Jornal Cruzeiro do Sul aqui de Sorocaba e era um ávido ouvinte das ondas curtas.

Rádio Rural Brasileira

Rádio Rural BrasileiraRádio Rural BrasileiraRádio Rural BrasileiraRádio Rural BrasileiraRádio Rural Brasileira





Ministério das Relações Exteriores da Finlândia

26 11 2014

Depois de receber uma carta recheada de brindes da embaixadora de Dominica para o Brasil resultante de um informe para a emissora Voice of Life, consegui pela primeira vez uma confirmação proveniente de um serviço diplomático.

Fiquei surpreso pela receptividade do responsável pelas telecomunicações do referido órgão. Para melhorar ainda mais, este foi mais um país inédito confirmado.

Além da confirmação recebi várias fotos dos equipamentos utilizados e das antenas da embaixada finlandesa em Ryiadh (Arábia Saudita) – destino da comunicação efetuada por Helsinki.





Rádio Imaculada Conceição

24 11 2014

Embora não se trate de um DX, o principal motivo dessa série de postagens é registrar identificações de emissoras de ondas médias, sejam elas de uma estação do outro lado do país ou mesmo do outro lado da rua. :-)

Mauá/SP dista 178 km de Guareí, local em que foi sintonizada a Rádio Imaculada Conceição na frequência de 1490 kHz conforme áudio abaixo:





Centésimo aniversário do Canal do Panamá: A história radiofônica – Parte 1

22 11 2014

Adrian M. Peterson

Recentemente soube de um importante aniversário ocorrido há alguns meses e que passou despercebido. A abertura oficial do Canal do Panamá ao tráfego marítimo ocorreu em 15 de Agosto de 1914 e hoje apresentarei a história do canal do Panamá bem como os acontecimentos radiofônicos locais.

A primeira sugestão de construção de um canal na América Central para ligar os oceanos Pacífico e Atlântico foi feita pelos espanhois no ano de 1529. Obviamente não havia viabilidade técnica para que isso acontecesse.

Em 1821 o Panamá obteve a independência da Espanha e foi anexada à Grã-Colômbia, resultando assim na República de Nova Granada. Em 3 de Novembro de 1903 o país conseguiu sua total independência.

Em 1826 os Estados Unidos começaram negociações preliminares com Nova Granada para a construção de um canal. Duas semanas depois da independência do país, Estados Unidos e Panamá assinaram um tratado que estabelecia a Zona do Canal do Panamá.

A Zona do Canal do Panamá foi administrada como um território norteamericano e incluía uma área de 890 km² de selva, lagos e hidrovias rumo ao canal. Durante 75 anos a Zona tinha seus próprios selos, alguns dos quais eram sobreimpressões de selos norteamericanos e panamenhos com valor expresso em dólares americanos.

Cerca de 50000 homens de todo o mundo foram empregados na construção do canal, sendo que muitos morreram devido às más condições de higiene, ataques de cobras e diversas doenças como a malária. Em 1906, 80% da força de trabalho havia sido hospitalizada ao menos uma vez por conta da malária.

Os trabalhos foram completados em dez anos e a abertura oficial de-se quando o navio SS “Ancon” cruzou todo o sistema. Entretanto, a primeira embarcação a fazer tal curso foi o barco “Lasata”, que fez uma passagem não-oficial um dia antes.

A taxa mais alta paga para uso do canal foi de mais de meio milhão pelo navio de cruzeiro Norwegian Pearl” em 2010; e a mais baixa foi pago pelo norteamericano Richard Halliburton, que cruzou à nado todo o canal em 1928. Esta aventura épica de 50 horas dividida em 10 dias custou apenas 36 centavos. Na época, cerca de 30 navios cruzavam o percurso de oito horas do canal todos os dias.

A Zona do Canal do Panamá passou ao controle local em 1 de Outubro de 1979 e assim as duas partes do país passaram a ser uma só. A região, que possuía uma população de 45000 pessoas em 1970 deixou assim de ser um território norteamericano.

A primeira estação de rádio foi instalada pelo Dr. Lee de Forest para a marinha dos Estados Unidos próximo a Colon, na entrada do Atlântico, em 1906 e tinha como indicativo original as letras SL. Era um transmissor de centelhamento com 35 kW que operava em 240 kHz.

Alguns anos depois, um transmissor de centelhamento com 100 kW foi instalado e adotou o padrão da marinha norteamericana, desta vez com as letras NAX. Esta estação continuou em serviço até a década de 1930.

A marinha dos Estados Unidos operou outras duas estações de rádio na Zona do Canal do Panamá: NNL em Coco Solo e NBA em Balboa. A estação de Coco Solo ficava em uma base submarina e foi ao ar na década de 1920.

Além disso, o exército norteamericano operou diversas estações na região instaladas em acampamentos e com indicativos como WUCG (Fort de Lesseps), WUCH (Fort Sherman) e WUCI (Fort Randolph).

As mais conhecidas estações de rádio da Zona do Canal do Panamá eram a NBA (Marinha) de Balboa e de Quarry Heights (Exército). Em um próximo artigo será dada ênfase a tais emissoras.

Artigo traduzido mediante autorização do autor. A reprodução em qualquer outro meio é expressamente proibida.





Rádio Cacique de Capivari

20 11 2014

A Rádio Cacique de Capivari é uma emissora que possui excelente sintonia em toda a região, fato este confirmado durante a DX Camp em Guareí.

Como foi confirmada há vários anos, fica apenas o registro da identificação para enriquecer este blog.

Capivari/SP dista 81 km de Guareí, local em que foi efetuada a escuta da Rádio Cacique na frequência de 1550 kHz conforme áudio abaixo:





Rádio Liberal

18 11 2014

A Rádio Liberal foi mais uma entre tantas emissoras brasileiras a surgir nas ondas tropicais durante a década de 1980. Não tenho conhecimento de um grande número de confirmações dela e a quantidade de informações a seu respeito é absolutamente nula. Infelizmente é a regra. Rádio Liberal





Uma visita à All India Radio: Khampur em ondas curtas

16 11 2014

Adrian M. Peterson

A All India Radio é uma das maiores emissoras de radiodifusão do mundo. Ela possui uma larga rede de transmissores de ondas curtas em todo o país para cobertura do serviço externo e doméstico. Em Abril de 2010, um grupo de três radioescutas fez uma visita à estação de ondas curtas da AIR em Khampur, que está localizada em uma região pantanosa nas cercanias de Delhi. O serviço externo da All India Radio na época da visita consistia dos seguintes transmissores:

Khampur, Delhi – 7 x 250 kW

Kingsway, Delhi – 2 x 100 kW e 3 x 50 kW

Malad, Mumbai1 x 100 kW

Gorakhpur, Nepal – 1 x 50 kW

Dhodballapur, Bangalore – 6 x 500 kW

Aligarh, Norte da Índia4 x 250 kW

Bambolim, Goa – 2 x 250 kW

Guwahati Assam 1 @ 50 & 1 @ 200 kW mediumwave

A visita à emissora teve três visitantes: T. R. Rajeesh, Alokesh Gupta e Anker Petersen da Dinamarca e foi organizada pelo Engenheiro da estação de Khampur, Sr. V. Baleja.

Após visitar a sede da AIR na Parliament Street em Nova Delhi, os três visitantes percorreram de carro um percurso de meia-hora para chegar à estação de Khampur, que fica a 25 km da capital. Durante o trajeto viram o centro transmissor de Kingsway. Ocupa um terreno de 256 acres e transmite em ondas curtas o serviço nacional bem como o externo para os países vizinhos no sul da Ásia. Também viram o sistema irradiante de ondas médias da AIR Nova Delhi em Nangli, que está preparada pra transmitir em modo DRM.

A estação de Khampur fica em uma propriedade de 630 acres em uma região alagadiça na vila de Khampur, nas cercanias de Nova Delhi, próximo ao estado de Haryana. Ao se aproximarem do centro transmissor era possível ver as torres a partir da estrada.

Várias fotos do sistema irradiante foram tiradas a partir do acostamento, pois não seriam permitidas na propriedade da estação. A caminho do escritório pudemos ter contato com a vida selvagem do local. Pavões, pombos e cegonhas nos acolheram sem formalidades!

A engenheira da emissora, Sra. Sonilatha Saigalin recepcionou os visitantes e ficou admirada por três monitores de emissoras internacionais terem feito tal viagem. Anker Petersen disse que as transmissões da emissora eram captadas com qualidade relativamente boa na Dinamarca e que poderia enviar informes a ela. Ela afirmou que tais informes seriam direcionados à Divisão de Administração de Frequências em Nova Delhi.

O chefe da estação, Sr. S. K. Aggarwal, solicitou ao engenheiro da emissora para mostrar aos visitantes os transmissores e antena. Eles observaram transmissores antigos e novos, assim como o equipamento para DRM, as torres e antenas.

A estação de Khampur possui sete transmissores de 250 kW para ondas curtas, 36 mastros e 49 antenas. Uma subestação fornece eletricidade. Na época a estação tinha cerca de 200 empregados, incluindo 50 engenheiros e técnicos.

Ela foi inaugurada em 1 de Janeiro de 1959 e o primeiro transmissor era um Marconi de 100 kW que havia sido vendido como sucata. Duas unidades AWA, da Austrália, com 20 kW cada foram instaladas em 1962. Em 1965, quatro outros transmissores foram instalados, dois de 50 kW e dois de 100 kW, fabricados pela STC (Standard Telephones & Cables) da Austrália.

Um plano recente de modernização foi levado adiante de forma a fazer com que Khampur pudesse atuar no serviço externo. Todos os transmissores foram instalados em uma sala ampla e os equipamentos da AWA e STC foram aposentados.

Em 1989, dois novos transmissores Brown Boveri de 250 kW foram ativados exclusivamente para o serviço externo. Então, duis novas e modernas unidades da Continental Electronics foram instaladas em Junho de 2000. Durante o ano de 2002, três novos transmissores de 250 kW da Thomcast também entraram em operação e isso fez com que Khampur passasse a ser o segundo maior centro transmissor da All India Radio, atrás apenas de Bangalore.

A estação completou 50 anos em 2009 com a participação de ouvintes e engenheiros.

O Digital Radio Mondiale ou DRM é uma nova tendência na radiodifusão em ondas curtas, particularmente na Índia. Assim como várias emissoras de ondas curtas de grande porte, a All India Radio passou a empregar o DRM em ondas curtas. A partir de Khampur a AIR fez os primeiros testes em DRM tanto para o público doméstico como internacional.

Um transmissor de 250 kW Thales/Thomcast foi convertido para DSB/DRM com saída de 55 kW para transmissões domésticas em 6100 kHz e em 9950 kHz para alcançar à Europa. A transmissão doméstica é monitorada no prédio da estação com um receptor de DRM de fabricação chinesa fabricado pela Himalaya.

Após essa visita, houve um encontro informal com outros ouvintes em Nova Delhi.

Para os que desejarem, os informes da AIR Khampur devem ser enviados aos seguinte endereço: AIR High Power Transmitting Station Khampur, Grand Trunk Karnal Road, Delhi 110036, India.

Artigo traduzido mediante autorização do autor. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 48 outros seguidores