Rádio Luzes da Ribalta

22 07 2014

De todas as gravações de identificações que extraí do conteúdo registrado em Guareí, esta foi a que apresentou a identificação mais bonita e completa.Talvez seja a melhor de todas as que apresentei aqui até hoje. A expectativa quanto retorno do informe de recepção é igualmente grande.

Guareí dista 104 km de Guareí, local em que foi efetuada a escuta da Rádio Luzes da Ribalta na frequência de 1360 kHz conforme áudio abaixo:





Dexismo na República Democrática da Alemanha

20 07 2014

Eckhard Röscher

Nasci na República Democrática da Alemanha (DDR) em 1957 e neste artigo gostaria de compartilhar as dificuldades de praticar o Dexismo durante a era comunista.

Comecei no hobby em 1972, quando tinha 15 anos. Na época eu colecionava cartões postais de todo o mundo. Um amigo tinha alguns cartões e eu queria trocar com ele. Ele me perguntou se tinha cartões QSL…

Eu nunca tinha ouvido falar sobre isso e fiquei curioso. Ele então mostrou-me alguns da Rádio Netherland, Voz do Vietnã, Rádio Bulgária, etc. Imediatamente fiquei interessado em como obtê-los. Ele então passou seu conhecimento quanto ao feitio de informes de recepção, código SINPO, etc.

Meus pais tinham um receptor valvulado antigo modelo “Stradivari 3”. Ele tinha três faixas, com ondas curtas de 49 a 16 metros. Com ele tentei minhas primeiras captações, primeiramente em Alemão e depois em Inglês. Após algumas semanas recebi meu primeiro cartão QSL – da Rádio Bulgária. Depois vieram outros cartões, da Rádio Polônia, Rádio Áustria, Rádio Canadá, Rádio Moscou, etc.

Foi um início muito divertido. Infelizmente era muito difícil obter informações sobre o hobby. Não haviam clubes ou boletins. A única chance era ouvir programas do gênero ou em trocas de ideias com meu amigo. Pouco depois ele abandonou o hobby, então minha única opção passou a ser os programas DX. Da Rádio Suécia eu recebia a versão impressa do programa “Sweden calling DX-ers”. Durante esse período eu também recebia cartas da aduana informando que haviam confiscado cartas da Rádio Suécia. Essa era outra dificuldade para a prática do Dexismo na Alemanha Oriental.

Durante tais programas ouvi várias informações sobre emissoras em ondas tropicais. Infelizmente não era possível captá-las com meu receptor. Também não era possível adquirir um rádio com tal faixa na loja do governo. No começo da década de 1980 alguns rádios portáteis de fabricação russa foram disponibilizados, mas eles nao eram muito bons. Por isso a dificuldade de recepção nessa faixa era muito grande.

Em 1972 eu também ouvia a programação da famosa estação pirata Radio Nordsee International. Na época foi a primeira e única emissora do gênero captada por mim. No início da década de 1980 captei a Radio Nolan International, estação pirata da Holanda. Depois disso captei outras emissoras piratas nas faixas de 48 e 41 metros. Enviei vários informes de recepção, mas o problema era o custeio de retorno. A Alemanha Oriental era país membro da União Postal Internacional, mas não era possível comprar IRCs nos correios do país. Minha única opção era enviar selos do meu país ou postais. Em muitos casos não obtive resposta aos meus informes.

Em 1985 um funcionário do serviço secreto (Stasi) me “visitou”. Na época eu tinha encerrado meus estudos e trabalhava como engenheiro em uma empresa local. Antes da visita ele ligou e perguntou quando poderíamos nos encontrar, pois pretendia me oferecer um emprego em minha antiga universidade.

A propósito, esse tipo de convite não era comum, principalmente após vários anos longe da universidade. Por essa razão fiquei desconfiado. No encontro ele perguntou quais eram minhas preferências no Dexismo. A impressão que tive é que ele já tinha conhecimento sobre o hobby.

Outra pergunta foi se eu costumava ouvir os programas da Rádio Canadá Internacional. Eu disse que que sim. A razão é que o nosso povo tinha permissão para passar as férias em Cuba, e o voo para lá tinha uma escala no Canadá. Isso abria uma possibilidade de dizer “adeus” aos comunistas.

Até a queda do regime comunista eu não tive sequer ideia do que o homem da “Stasi” queria. Decidi ver o que os documentos oficiais falavam ao meu respeito quando os arquivos foram abertos. Primeiramente tive de provar que estava vivo. Depois de verificarem meu passaporte e carimbá-lo fiz a solicitação a “Comisão Federal para os Registros do Serviço de Segurança de Estado da Antiga Alemanha Oriental”.

Após mais de dois anos recebi uma carta informando que poderia ver os meus documentos da Stasi. Encontrei mais de 100 páginas sobre mim. Eram cópias de meus informes de recepção e cartas de emissoras. O arquivo era mais organizado que meus registros! Em 1985 recebi um cartão QSL da Voz da América via Embaixada Americana em Berlin Ocidental. Isso levou a um membro da aduana perguntar à Stasi o que devia acontecer comigo.

Outra razão pela qual quis consultar meus documentos era a de buscar confirmações. Como tal material não estava no mesmo lugar eu teria que aguardar outros dois anos. Não tentei isso novamente.

Em 1993 comprei um receptor “Satellit 700” da Grundig e uma nova era começou para mim. Agora eu posso ouvir ondas tropicais, tenho condições de enviar custeio de retorno e a maior parte das cartas enviadas a mim chegam normalmente.

Esta é minha pequena história repleta de dificuldades para a prática do Dexismo na era comunista.

Eckhard Röscher em seu shack ouvindo ondas tropicais em seu “Satellit 700″ em 1999.

Artigo traduzido mediante autorização do Danish Shortwave Club International. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.





KGEI

18 07 2014

‘”La voz de la amistad” – esse foi um slogan que muitos ouvintes de ondas curtas acompanharam durante a década de 1990 ou bem antes. A emissora tem uma história bastante rica nas ondas curtas e a flâmula que disponibilizo aqui é bastante bonita.

KGEI





Rádio Clube de Dourados

16 07 2014

Embora não saiba nada sobre seu status atual na faixa de 90 metros, sei que os últimos relatos de escuta desta emissora foram feitos por Dexistas do Hemisfério Norte. Curioso notar a ausência de captações dela na América do Sul.

Rádio Clube de Dourados

Rádio Clube de Dourados





Rádio Cultura de Poços de Caldas/MG

14 07 2014

A Rádio Cultura é uma emissora que aparece com regularidade na região, embora até o momento tenha sido apenas no período noturno. A escuta durante o dia surpreendeu e serviu para reforçar o bom funcionamento da antena Beverage em uso na cidade de Guareí.

Poços de Caldas/MG dista 242 km de Guareí, local em que foi efetuada a escuta da Rádio Cultura na frequência de 1350 kHz conforme áudio abaixo:





Fontes de alimentação de baixo ruído para antenas ativas

12 07 2014

Dallas Lankford

É comum a presença de ruído quando utilizamos fontes de alimentação em antenas ativas. Percebi que ele normalmente começa na faixa de ondas longas e aumenta de intensidade conforme a frequência diminui. Há casos em que ele começa na faixa de ondas médias e até mesmo curtas. O ruído e a dificuldade de eliminá-lo são as principais razões pelas quais não usei antenas ativas no passado.

Chokes normalmente eliminam o ruído de fontes de alimentação em antenas ativas; tenho o costume de usá-los tanto na antena como na fonte. Entretanto, os chokes sozinhos não são suficientes para eliminar o ruído de fontes de alimentação em frequências baixas. Em alguns casos experimentei valores maiores que 1 Henry, mas sem redução maior de ruído que quando usei de valores na faixa de 2,7 mH (vide diagrama acima).

Adquiri recentemente uma fonte Radio Shack # 273-1690 18/24 V CA/CA, pensando ter adquirido um modelo CA/CC. Felizmente havia espaço interno suficiente para convertê-la para CA/CC. Usei a saída 18 VCA (1.4*18 = 25.2 VCC nominal, 25,7 VCC medido, o que é perto de 24 VCC), um retificador em ponte onda completa de 100 V/1,4 A Radio Shack #276-1152, e um capacitor eletrolítico de 1000 mF/50 V. O ruído começou na parte baixa da faixa de ondas médicas e aumentou com o decréscimo da frequência. Fazendo o “bypass” do negativo CC para o neutro CA levou o ruído para o meio da faixa de ondas longas, quase o mesmo resultado obtido com com outras fontes CA/CC de outras antenas ativas que usei. O uso de um choke maior não resolveu o problema.

Eu mencionei tal problema ao colega Terry Fugate, que sugeriu que colocasse um capacitor de 100 nF em paralelo com cada diodo da ponte. A teoria de funcionamento informada por ele segue abaixo.

Também tive o mesmo problema em ondas longas. O causador de tal problema são os diodos retificadores. Com modelos antigos isso não era comum, mas hoje eles produzem tanto ruído quanto uma lâmpada fluorescente. A solução é usar capacitores de 100 nF em paralelo com cada diodo de forma que eles não retifiquem a RF. O uso de um capacitor eletrolítico de 1000 uF na saída dos diodos também é importante. Isso fará com que você tenha uma fonte de alimentação silenciosa até mesmo na faixa de 10 kHz. Efetuei tal modificação nas fontes de alimentação do Yaesu FRG-100, Icom R75, AOR3030, AOR7030, Palstar R30, Collins KWM-380 e até mesmo em modelos antigos da Radio Shack vendidos na década de 1970. Doug DeMaw tem o crédito pelo uso dos capacitores em paralelo com os diodos; A minha contribuição foi com o bypass. Pete KE9OA: modifiquei minha fonte CA/CC conforme a recomendação de Terry, usando capacitores de 100 nF em paralelo com cada diodo conforme o esquemático acima e o ruído desapareceu. Depois dessoldei o bypass do secundário ao neutro CA para avaliar essa parte da modificação. Curiosamente houve um pequeno aumento do ruído, então a desfiz. Obtive ainda mais redução de ruído aterrando o negativo de CC.

Usei uma fonte de 12 V com retificadores individuais de forma que a modificação fosse mais fácil, com capacitores de 1 nF/50V conforme a foto acima. Também havia espaço suficiente entre a placa e a caixa da fonte. Os diodos dessa fonte eram mais silenciosos que os da fonte de 24V citada acima, então não houve grande redução no nível de ruído em ondas longas (que já era baixo). O uso de chockes também não ajudou, mas o aterramento do negativo foi de grande valia. Deixei os cockes para situações em que o ruído possa vir da rede elétrica. Em ambos os casos usei pinos banana e substituí o cabeamento.

Ao testar a fonte de 12 V com a antena ativa mostada no esquema abaixo foi possível captar em 183 kHz a estação de Felsberg, Alemanha, em Francês retransmitindo a Europe 1 de Paris. Trata-se de uma captação incomum e que quase nunca apresenta áudio de qualidade. Ativei minha antena vertical de 13 metros e tive outra surpresa: quase não havia áudio…. A título de experiência tentei com a ALA 100 e não obtive áudio. Continuei trocando entre as três antenas e obtive resultados idênticos por quase todo o tempo. Após o encerramento das transmissões da emissora de 183 kHz às 0000, sintonizei 162 kHz de Allouis, França. Também é uma captação incomum por aqui e raramente produz áudio compreensível. Com a antena que montei o áudio foi excelente, na vertical era muito pobre e na ALA 100 era ainda pior. O receptor usado foi uma versão modificada do IC-746Pro com filtro de 3,6 kHz e ECSS, USB ou LSB dependendo de qual opção tivesse menos interferência e com o notch ativado.

Embora a antena ativa estivesse a apenas alguns metros da vertical e da ALA 100, a primeira foi quem apresentou melhores resultados. Entretanto, sem a fonte de alimentação modificada creio que os resultados seriam muito diferentes.

Durante o dia seguinte continuei os testes com as três antenas, e no caso de sinais por onda terreste a antena ativa não teve uma relação sinal/ruído tão boa quanto a vertical. Em um dos casos, a vertical resultou em áudio claro, enquanto na ativa havia quase que só ruído. A ALA 100 não foi muito melhor, mas em alguns poucos sinais ela era melhor por conta de ser capaz de anular ruído elétrico. Em alguns outros sinais a ALA 100 não produziu áudio em comparação com a antena ativa, devido ao nulo da primeira estar apontada para o sinal desejado, o que ilustra uma desvantagem de antenas loop de grande porte. Nestes testes a antena ativa estava a dois metros do solo. Em um local mais alto a relação sinal/ruído seria melhor.

Depois desses testes acabei mudando minha opinião sobre antenas ativas. Quando usadas com fontes de alimentação de baixo ruído elas tem um rendimento respeitável e em algumas situações podem até substituir antenas maiores.

Artigo traduzido mediante autorização do autor. A publicação em qualquer outro meio é expressamente proibida.





Rádio Clube Paranaense

10 07 2014

A “B2″ tem uma longa história, bastante tradição nas ondas curtas e recentemente retornou a tal meio após alguns anos de ausência. Pena esse retorno não ter sido acompanhado por uma boa política de confirmações como a existente no passado…

Rádio Clube Paranaense

Rádio Clube Paranaense

Rádio Clube Paranaense








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 49 outros seguidores